Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 8

Click to this video!


Tudo o que programei deu certo: nos últimos dias eu consegui: comer meu sobrinho outra vez, comer a namorada dele, tirar o cabaço do cuzinho dela, fazer DP nela junto com ele, sendo que no último conto narrei nossa foda de quando fiz ele chupar meu pau, na frente dela.

Neste conto narrarei nossa última foda, quando o comi na frente dela e com a ajuda dela. Após nossa trepada no último conto, tomamos banho, jantamos e dormimos os 3 juntos na minha cama. A Raquel no meio, eu e meu sobrinho um de cada lado dela. De madrugada puxei-a p/ perto de mim, abraçando-a e dormimos de conchinha até o dia amanhecer.

Amanheci com o pau duro, como de costume, a Raquel estava com a bunda virada p/ mim, tirei o pijama, cueca e encaixei meu pau em seu rego, deixando-o ali, pressionando sua bundinha. Iniciei um cafuné bem carinhoso e dei um monte de beijinhos em seu ombro e costas.

Daí a pouco ela acordou, deu um sorriso, uma bitoquinha, pegou em meu pau e falou: bom dia gostoso, vc acordou animado assim? Eu: acordo assim todos os dias minha putinha. Ela: que delícia, depois do café vamos brincar né? Eu: por mim brincaríamos agora! Ela: deixa p/ depois do café, assim tomamos banho e nos chupamos inteiros. Eu: me convenceu!

Ainda chupei carinhosamente seus dois seios por um tempo, provocando-lhe gemidinhos de tesão. Levantei, escovei os dentes e fui p/ cozinha pelado preparar o café. Ela foi p/ cozinha daí a pouco e ao me ver pelado lá: nossa! Que animação! Me abraçou por trás, me deu uns beijos, deu mais uma provocada, pegando no meu pau e saiu da cozinha sem falar nada.

Quando voltou, ela também estava sem roupas, a safada foi ao quarto tirar as roupas. Quando voltou, me abraçou novamente, senti aquele corpo quentinho tocando no meu, seus seios contra minhas costas, enquanto me abraçava falou: vamos com calma, pois precisamos tomar café primeiro.

Eu me virei de frente p/ ela, abracei-a e beijei sua boca. Dei um beijo intenso, daqueles apaixonados, cheio de tesão. Enquanto beijava-a, acariciava seu corpo, sua bunda, costas, nuca, seus seios com as 2 mãos, até chegar na bucetinha que encontrei molhada.

Sorri e provoquei: hum, meladinha já? Tá bem animada p/ quem não quer nada! Ela sorriu e respondeu: não sou de ferro tio! Nos beijamos mais um pouco e nos desvencilhamos. Ela falou: vamos com calma e tomar café, assim aumenta nosso tesão. Concordei e sentei-me de frente p/ ela.

Que delícia a visão dela ali na minha frente, nua em pelo, tomando café comigo, com toda a beleza daquele corpinho (23 anos) que seria meu novamente, daí a pouco. Ela olhava p/ meu pau, que ficou duro o tempo todo, até que falou: ele não vai baixar não tio. Eu: só depois que vc cuidar disso minha putinha.

Nisto meu sobrinho chegou, deu bom dia, quando nos percebeu pelados perguntou: eu perdi algo, fizeram algo sem mim? Eu: ainda não, é só provocação! Ele tirou o pijama e cueca ali mesmo, sentou-se na mesa pelado, ao lado dela, já de pau duro também.

Ela nos olhou e sorriu: nossa, parece que estou em apuros meninos! Eu sorri e disse: prometo não fazer nada que vc não queira ou não peça p/ eu fazer outra vez. Ele emendou: eu também! Sorrimos juntos e daí a pouco terminamos nosso café da manhã.

Sugeri que tomássemos banho, assim poderíamos nos chupar sem restrições, como fui o primeiro a terminar, preparei o quarto, liguei o ar, peguei as camisinhas, lubrificante, fechei o black-out, deixando meia luz, não estava claro, mas víamos tudo e sintonizei a TV a cabo no canal erótico.

Meu sobrinho foi o segundo, eu estava sentado na cama, ele sentou do meu lado e eu falei com ele, apontando p/ meu pau: pega nele e faz carinho com a mão. Ele me olhou e falou: a Raquel pode chegar! Eu respondi: vc já me chupou ontem na vista dela, não acho que ela achará ruim.

Fiquei deitado e ele sentou do meu lado e começou a me punhetar. Falei: isto, que mão gostosa, punheta devagar, p/ me deixar com mais tesão, vc gosta de sentir meu pau na sua mão? Ele: gosto. Eu: o que sente? Ele: é gostoso, dá um tesão. Eu continuei: fica com vontade de sentir ela no cú? Ele baixinho: hum rum.

Nisto a Raquel chegou e falou brincando: o que é isto? Começaram sim mim? Antes que ele se entregasse falei: pedi p/ ele me aquecer p/ vc! Ela sorriu e disse: como se vc precisasse de aquecimento! E olhando p/ pau dele completou: ele tá é gostando disto! Eu falei sem finalizar: isto, nós veremos.

Ela já estava sentada ao meu lado, puxei-a pela nuca e beijei-lhe, demoradamente, enquanto ele me punhetava e com certeza nos assistia. Quando acabamos o beijo, falei com ela: quero sentir sua boca agora na minha pica. Olhei p/ ele e falei: segura p/ ela chupar.

Ele continuou na mesma posição, segurou meu pau pela base, expondo a glande e deixando a disposição dela. Ela deu-lhe um beijo na boca, depois abaixou em direção ao meu pau p/ chupar. Começou passando a língua de um lado dele, depois do outro, como se fosse um picolé.

Depois beijou a cabeça, passou a língua nela, até que por fim abriu a boca fazendo-a sumir dentro da sua boquinha quente, úmida e gulosa. Ela se manteve chupando só a cabeça por um tempo, até que começou a descer, engolindo minha pica, até onde coube.

Então ela começou um vai e vem com a boca em minha pica, me chupando com volúpia. Ele olhava atento ela me chupando. Eu dei um gemido mais alto e falei com ela: dá um beijo nele agora, que ele está com água na boca. Ela parou, me olhou, olhou p/ ele, sorriu e beijou-lhe quase engolindo, com o gosto de minha pica no beijo.

Quando acabou o beijo, ela levou a mão até a nuca dele e foi puxando com jeito, fazendo-o se abaixar em direção ao meu pau e disse-lhe: vamos resolver isto então, quero que vc chupe essa pica! Ele nem contestou, se ajeitou ao lado do meu pau e começou uma chupeta em mim com tesão.

Ela falou p/ ele: não sei pq, mas me dá um tesão danado ver chupando essa pica. Ela veio por cima de mim, ajoelhou em minha cabeça, colocando sua buceta em minha boca e falou: me chuta tio, quero gozar na sua boca, vendo meu namorado mamar sua pica, como se fosse uma putinha.

Comecei a chupar sua buceta, que estava meladíssima e foquei logo no clitóris, pois queria que ela gozasse logo, p/ eu voltar a assistir e comandar o jogo. Enquanto eu chupava ela falava p/ mim gemendo: ai tio, assim, me chupa, que gostoso. Depois falava p/ ele e tom de comando: chupa direito esse pau, engole ele todo que o tio gosta, que putinha safada vc está me saindo, hein!

Eu continuei chupando a buceta dela e comecei a acariciar-lhe o corpo com minhas mãos, até que cheguei em seus seios. Quando toquei neles, eles acenderam na hora, acariciei-os um pouco e depois foquei nos biquinhos, sem parar de chupar seu clitóris. Ela começou um rebolado curto na minha cara e falou: ai tio, que gostoso, vou gozar tio!

Então o corpo dela tremeu, dando sinais de que ela estava gozando em minha boca. Ela falava: ai tio, to gozando, que gostoso, chupa tio, chupa que estou gozando. Após o gozo, ela saiu de cima de mim, minha boca estava toda melada com seu gozo, ela veio e me beijou, me lambeu e falou: preciso limpar vc tio, te sujei todo, te deixei todo babado.

A Raquel estava uma puta muito melhor que a encomenda. Eu me ajeitei na cama, encostando minhas costas na guarda da cama, ao fazer isto, meu pau saiu na boca dele, pois mudei de posição, chamei ele de volta e falei, volte a me chupar, mas fique de 4 enquanto faz!

Ele ficou de 4, se apoiou nos cotovelos, pegou minha pica com a mão e voltou a chupá-la. A Raquel me olhou, meio que esperando p/ ver o que eu estava aprontando. Peguei o tubo de lubrificante e dei em sua mão, sem falar nada, pois fiquei esperando a ficha dela cair.

Poucos segundos depois ela me olhou com aquele sorriso iluminado, como dizendo que havia entendido minhas intenções. Antes que ela falasse algo, fiz sinal de silêncio, como se dissesse: não fala nada que ele não sabe. Ela acreditou e se posicionou atrás dele, que estava de 4 me chupando.

Ela acariciou a bunda dele. Ele quando sentiu o toque dela ameaçou levantar, mas interrompi em tom forte: quem mandou vc parar de chupar, continua! Ele baixou a boca e voltou a me chupar. Sinalizei 1 dedo p/ ela, que entendeu e lubrificou o dedo médio.

Na posição em que eu estava (sentado sento chupado por ele, que estava de 4) não via com detalhes o que acontecia, mas percebi a movimentação dela, enviando 1 dedo no cuzinho dele. Ela fazia cara de tesão enquanto enfiava o dedo no rabinho dele, que continuava mamando na minha rola.

Sinalizei 2 dedos p/ ela, ela puxou a mão, juntou o dedo indicador ao dedo médio, lubrificou os 2 e voltou a movimentar a mão atrás da bunda dele. Percebi ela meio afoita, então falei: vai com calma putinha, trate o cuzinho dele como se fosse o seu, com cuidado.

Ela maneirou a mão, mas entendi que os 2 dedos já estavam entrado e saindo do rabinho do namorada dela por inteiro, aquela altura, acho que ela já sabia que eu iria comê-lo e se estava me ajudando, entendi que não só concordava, como estava gostando da sacanagem.

Ela comeu o cuzinho dele mais um tempo com os 2 dedos, ele não reclamava, apenas gemia enquanto chupava minha pica dura de tesão p/ comê-lo na frente dela. Então eu fiz sinal p/ ela, pedi que usasse 3 dedos, mas que fosse bem devagar, mas não assustá-lo e nem machucá-lo.

Ela deu um sorriso safado, como quem diz: é p/ já! Vou arregaçar este cuzinho com meus dedos! Ela melecou os 3 dedos com lubrificante, posicionou-os no cuzinho dele e começou a forçar. No início ele não reclamou, mas a medida que entravam, a feição dele mudou, p/ como se estivesse com um pouquinho de dor.

Entendi que era hora de parar, pedi que parassem e disse a ela que queria vê-la fodendo com ele. Ela me olhou com a cara meio de contrariada, imagino que ela achava que eu já iria comê-lo, mas não falou nada, foi p/ cima dele, empurrou-o na cama p/ que deitasse.

Pediu uma camisinha, ela mesmo colocou no pau dele, depois subiu em cima dele, com a mão ajeitou a pica da entrada da buceta dela e devagar foi rebolando e engolindo aos poucos a pica dele. Quando entrou tudo, ela ficou cavalgando devagar por um tempo.

Quando se acostumou, ficou de cócoras e começou a quicar na pica do namorado dela. Ela trepava com ele, me olhava e falava: era assim que vc queria? Tá gostando de me ver dando p/ ele? Viu como a gente fode gostoso? Para provocá-la não respondi, mas mudei a posição para ver melhor a cena e comecei uma punheta, olhando p/ ela.

Ela adorou a cena: que delícia tio, bate punheta p/ mim, me vendo dar a buceta! E olhou p/ ele: trepa comigo mor, me come, de fode gostoso p/ tio ver a gente! Ai que pica gostosa vc tem! Te amo mor! Então ela se abaixou e beijou-o com tesão.

Pedi que eles mudassem de posição e fossem p/ frango assado, eles mudaram, assim que ele encaixou e meteu nela outra vez, pedi: mete muito forte e muito rápido nessa puta, quero ver ela gozar na sua pica! Ele então começou e fodê-la muito rápido e forte.

Ela enlouqueceu: isto mor, me come, me fode, soca, soca esta pica na minha buceta! Ele metia sem dó nela, os corpos deles faziam muito barulho quando se tocavam, o ritmo era alucinante, tanto que em pouco tempo ela anunciou: não para, continua assim que vou gozar, ai que gostoso, soca bem forte em mim, vou gozar!

Ela começou a gemer mais alto, apertou o lençol com as duas mãos, contorceu o corpo e anunciou: aiiiiii, to gozando, to gozando, não para! Ele continuou metendo nela e ela gozou intensamente, com o corpo todo arrepiado. Quando acabou o gozo, ela puxou ele p/ perto, travou as pernas em torno da bunda dele e o beijou.

Foi um beijo apaixonado de agradecimento pelo gozo maravilhoso. Ela continuava prendendo ele com as pernas, isto fazia com que a pica dele, ficasse inteira enterrada dentro da sua bucetinha, após o beijo, ela olhou sorrindo p/ ele e disse: te amo mor! Ele respondeu: também te amo!

Pedi que continuassem sem se mexer na mesma posição, ela soltou as pernas, eu vesti uma camisinha, lubrifiquei meu pau e pisquei p/ eles que me assistiam. Ela entendeu na hora o que eu pretendia, tanto que por baixo dele como ela estava, levou as 2 mãos, 1 em cada nádega, segando-as e afastando-as.

Eu não falei nada, posicionei-me atrás dele e lubrifiquei o cuzinho dele, depois enfiei 1 dedo até o final, tirei e enfiei 2 e por fim, tentei meter 3, mas entraram pouco menos da metade e ela me avisou: ele está fazendo cara de dor tio. Tirei os dedos e perguntei p/ ela: vc que saber o que estou fazendo? Ela no ato: quero sim tio!

Posicionei-me atrás dele, coloquei minha pica na entrada do cuzinho dele, apliquei-lhe um tapa estralado na bunda e em voz de comando falei: conta p/ ela o que estou fazendo, narra tudinho p/ ela saber. Ele respondeu: acho que ele colocou a pica na minha bunda. Ela: dentro? Ele: não, esta encostada.

Então dei aquela tradicional forçada no corpo, a pressão da pica em seu cu, fez com que ele se abrisse p/ a cabeça e mais um pedado adentrar dentro daquele rabinho que eu já conhecia, mas até então, nunca havia comido na frente da namorada dele.

Dei outro tapa estralado e perguntei: vc parou de contar p/ ela pq? Ele: ele está enfiando a pica em mim. Ela: é mor? Tá gostoso? Ele: não, está doendo! Ela: cuidado Tio, o cuzinho dele é virgem! Eu quase sorri na hora, pois sabia que a dor era mentira dele, mas ela não sabia e nem poderia saber das nossas aventuras anteriores.

Respondi: terei com ele o mesmo cuidado que tive com o seu cuzinho, quando tirei seu cabaço, lembra? Ela: lembro! Como o cú do meu sobrinho já era um velho conhecido, continuei forçando e fui enfiando minha pica nele aos poucos e sem parar.

Eu metia um pouquinho e tirava quase tudo, voltava a meter, fazendo entrar mais que da vez anterior e voltava a tirar, metia de novo, mais um pouco e tirava novamente, continuei assim, até que entrou tudo. Quando entrou tudo, dei uma última estocada, fazendo o corpo dele ir p/ frente, e colei meu corpo no dele, me certificando que não havia mais espaço entre eles, e minha pica estava até o talo dentro daquele rabinho, quente, macio e guloso.

Ela percebeu o golpe e perguntou: o que ele fez amor? Ele: meteu inteiro em mim! Ela: tá doendo mor? Ele: tá sim! Ela então fez a pergunta mágica: quer que eu peça para ele tirar? Ele demorou p/ responder, tentei imaginar o que ele estaria pensando, as dúvidas em sua cabeça, mas mantive a pressão, sentindo o calor daquele cuzinho apertando em volta da minha pica.

Ele respondeu: não mor, dói, mas é gostoso! Então ela colocou a cabeça de lado p/ conseguir me ver, quando nossos olhares se encontraram, ela estava com um sorriso de satisfação na cara e me disse: como ele tio, come o cuzinho dele igual vc comeu o meu!

Ela não precisou pedir 2 vezes, segurei ele pela cintura, p/ mantê-lo por cima dela, na mesma posição, com sua pica ainda enterrada nela e comecei a bombar. Comecei bombando de leve, tirando devagar, fazendo quase tudo sair de dentro dele p/ depois voltar a meter, também devagar, até o final outra vez, pois queria acostumá-lo ao vai e vem da minha pica naquela posição.

Eu metia, tirava e olhava, quando eu tirava a pica de dentro, a borda do cuzinho dele fazia biquinho em volta do meu pau, quando eu empurrava de volta, a borda do cú dele ia para dentro, num vai e vem lindo de ver e muito excitante. Minha pica estava bem melada de lubrificante e o cú dele já estava bem relaxado, a penetração acontecia sem problemas. Quanto entrava tudo, o cú dele ficava piscando e mordendo minha pica.

Ela então perguntou: tá gostoso mor? Ele: tá sim! Ela: vc está gostando de dar o cú p/ ele? Ele: tô sim! Ela: a pica dele é gostosa? Ele: é mor, muito! Ela: viu mor, é isto que eu sinto quando ele come meu cú! Ele: é muito gostoso! Ela: pede p/ o tio te comer! Ele: me como tio! Ela: ahhh não, vc pode fazer melhor, não disse que estava gostoso, então, mostra p/ ele! Ele: me come tio, come meu cú, soca esta pica deliciosa em mim, mete gostoso!

Assim que ouvi isto, comecei a bombar mais rápido, ele logo começou a gemer entregando o tesão e prazer que sentia, ela falou: isto tio, come o cú dele, vc precisa ver a cara de tesão que ele está fazendo, ele está adorando dar p/ vc tio, tá gemendo igual uma putinha no pau do macho. Eu metia nele sem parar, rápido e firme. O cuzinho dele recebia minha pica dura bem relaxado. Ela falava: isto putinha, dá gostoso p/ o tio, pede p/ ele te comer! Ele: me come tio – gemendo – soca a pica em mim! Eu dei outro tapa estralado enquanto metia e falei: adoro uma puta obediente e oferecida assim.

Eu achei que estava na hora de mudar o ritmo, então parei de meter, tirei o pau quase todo de dentro dele, sentando sobre meus pés, puxei ele pela cintura, ele soltou o corpo e veio, quando fez isto, a bunda dele veio em direção a mim, engolindo meu pau, mas seu corpo se afastou do corpo dela, tirando tanto da pica dele de dentro dela.

Ai eu empurrei o quadril dele p/ frente, ele deixou o corpo ir, isto fez com que a pica dele voltasse a entrar toda nela, mas meu pau voltou a sair quase todo do seu cú. Eu me sentei numa distancia que era suficiente p/ ele se movimentar, mas não suficiente p/ tirar o meu pau todo de dentro dele e nem o dele todo de dentro dela.

Então falei com ele: agora vc é quem comanda os movimentos, quando meter nela, estará tirando a minha pica do seu cú e quando tirar sua pica dela, estará recuando a bunda e engolindo minha pica novamente com seu cú. Você comerá a buceta dela e ao mesmo tempo dará o cú p/ mim, com isto traremos ela p/ brincadeira também. Fiz isto, pois eu sabia que ela estava louca de tesão, doida p/ fuder conosco também e eu queria que ele gozasse, p/ eu poder curtir os 2 ao mesmo tempo.

Ele começou a movimentar-se entre nossos corpos, fazendo ao mesmo tempo um vai e vem com sua pica na buceta dela e outro com seu cú na minha pica. Ele começou lento, se acostumando com o movimento, mas deixou logo claro que era muito prazeroso, pois começou a gemer de prazer. Ela olhou p/ ele e falou: tio ele está adorando, vc precisa ver a cara de tesão que ele está fazendo.

A media que ele foi se acostumando com o movimento, suas investidas na buceta dela e na minha pica foram aumentando a velocidade, não posso dizer que ele chegou ao ponto de socar, mas num dado momento ele trepava com desenvoltura e começou a falar sem provocação: ai que gostoso, pqp nunca achei que algo pudesse dar tanto prazer assim!

Ela interagiu: é mor, vc está gostando de me comer e dar o rabo ao mesmo tempo? Ele sem cerimônias: to sim, muito, não resistirei muito tempo ao gozo! Ela: fode mor, fode com a gente, se entrega e goza mor, goza comendo minha buceta e goza dando a bunda p/ tio!

Ele começou a gemer mais alto e a socar com mais força do que vinha fazendo. O corpo dele fazia barulho na ida, quando batia no corpo dela e na volta, quando batia no meu, a pica dele entrava até o final na bucetinha dela e a minha pica também entrava até o final na bunda dele.

Não sei por mais quanto minutos ele resistiu, mas num dado momento ele anunciou o gozo: ai que gostoso, vou gozar, que delícia! Ele contraiu o corpo e continuou os movimentos gozando com o prazer duplo que sentia, dando a bunda e comendo uma buceta ao mesmo tempo.

Ela incentivava: goza mor, goza na minha buceta, goza na pica do tio, goza gostoso mor, se entrega a esta sensação. Ele: to gozando, to gozando, to gozando, ahhhhhhhhh, que delícia. Tudo isto sem parar de se mexer entre nossos corpos.

Aos poucos os movimentos dele foram ficando mais lentos, a respiração dele estava ofegante, até que ele parou no meio do caminho, eu empurrei ele, fazendo-o colar no corpo dela e fui p/ frente, eliminando qualquer espaço que havia entre nos, a pica dele que em breve amoleceria pós gozo estava toda nela e a minha que se manteria dura, estava inteira dentro no rabinho dele, pulsando de tesão e massageando seu reto por dentro.

Ele se abaixou e beijou a Raquel apaixonadamente, após o beijo ela afagou os cabelos dele e perguntou manhosa: gozou mor? Ele: muito! Ela: ficou ofegante foi? Ele: hum rum! Ela: gostou mais de comer minha bucetinha ou de dar sua bundinha? Ele: os 2 são muito bons! Ela: mas o gosto da minha buceta vc já conhecia, a sensação de dar a bunda não. Ele: é verdade! Ela: gostou de sentir a pica do tio dentro de vc? Ele: muito mais do que eu achei que poderia. Ela: vc vai me deixar dar p/ ele agora? Ele: claro!

Foi a deixa p/ eu desengatar dele e começar a trocar minha camisinha, ele também se desengatou dela, deitou-se ao lado, de barriga p/ cima e eu falei com ela: de 4, aqui na beirada da cama. Ele sorriu entendendo minha intenção e se colocou de 4, com a bunda bem arrebitada na beirada da cama.

Eu cheguei por trás dela, em pé, do lado de fora da cama, pincelei meu pau em sua buceta, que achei encharcada e num golpe só enterrei minha pica inteira nela. Ela só gemeu; ihhhhhhhhhh, seu safado! Eu segurei-a pela cintura e sem nenhum aviso iniciei um vai e vem frenético, rápido e forte em sua buceta.

Ela respondeu na hora: isto tio, me fode, me fode gostoso! Ai que pica deliciosa, adooooroooo quando vc faz desse jeito, soca tio, me come, sou sua puta! Ahhhhhhhhhhh! Meu corpo batia no dela: plof, plof, plof, plof, plof, plof, plof, plof, plof, plof!

Ela enlouqueceu de tesão, abaixou o tronco ainda mais, deixando seu quadril ainda mais arrebitado, esticou os braços p/ frente e apertou o lençol forte, entendi que se continuasse ela gozaria daquele jeito, pois já estava com tesão da foda com o namorado antes e não resistiria muito mais a pressão que eu impunha.

Continuei socando com força nela, segurando-a pela cintura, ela gemia, suspirava e, arfava o ar, entregando todo prazer que sentia, até que ela começou: soca tio, mete forte tio, mete que vou gozar, continua, continua, come minha buceta! Aiii que gostoso!

Eu mantive a pressão, socando minha pica naquela cabritinha branquinha, que estava ali toca arreganhada p/ mim, minha pica duríssima entrando e saindo rápido dela, judiando sua bucetinha rosinha e melada de tesão. Então ela começou a gozar: to gozando! to gozando! Soca tio, ai que gostoso, to gozando! to gozando! Ai que delícia!!!

Os gemidos ela eram altos e demonstravam todo o prazer que ela estava sentindo. Quando começaram a diminuir, eu também fui diminuindo o ritmo do vai e vem, até que parei meu corpo colado no dela, com minha pica enterrada em sua buceta, que latejava em volta do meu pau.

Ela estava na mesma posição, mas entregue, prostrada na cama, ofegante, curtindo a sensação pós gozo, com um sorrisão na cara, aparecendo entre os cabelos que caíram cobrindo parcialmente seu rosto. Ela continuou assim até que falou: pqp tio, como vc fode gostoso! Tô acabada!

Eu respondi: é melhor se recuperar, pois não acabou ainda não. E mexi um pouco o corpo, p/ ela perceber minha pica dura dentro dela. Ela respondeu: putz tio, sua pica não baixa não? Eu respondi: baixa sim, mas enquanto não acontece, vamos aproveitando! Então, bati a mão na cama ao lado dela, olhei p/ ele e falei, quero vc aqui, na mesma posição!

Ele me olhou meio surpreso, como quem não esperava, pois agora eu comeria ele, sem a interferência dela, que teria a primeira oportunidade de assisti-lo dando o rabo. Ele veio, ficou na posição, tirei a pica de dentro dela, lubrifiquei a camisinha, o botãozinho do cú dele, mirei, fiz força com o quadril p/ frente, fazendo-a entrar um bom pedaço da minha pica no cú dele e por fim num último golpe, meti o resto que faltava, enterrando-a inteira em seu rabinho outra vez.

Quando tirei a pica de dentro dela, soltando sua cintura, ela largou o corpo p/ frente e deitou-se por completo, mas virou o rosto em nossa direção p/ assistir a foda que se iniciava. Comecei comendo-o devagar, fazendo questão de ver meu pau entrar e sair todinho de dentro dele. Eu comia o rabinho dele sem pressa, curtindo a sensação da conquista.

Ele estava de 4, com o tórax e rosto colados na cama, deixando sua bunda bem empinada p/ mim. Ela que nos assistia deitada, levantou e sentou-se do nosso lado, p/ ver mais de perto nossa foda. Eu continuava comendo ele devagar, além de curtir o momento eu queria dar um showzinho p/ ela.

Eu estava com muito tesão por estar ali na frente dela, comendo seu namorado com o seu consentimento. Ele gemia baixinho denunciando o prazer que sentia com o vai e vem da minha pica dentro do seu cú. Eu continuava curtindo o momento, fodendo-o devagar, eu enfiava a pica inteira, até do talo em seu rabinho, p/ depois tira-la quase toda, deixando só a cabeça lá dentro.

Quando ela entrava inteira, eu sentia em volta da minha pica todo o calor que emanava do interior do seu rabinho guloso, que me recebia relaxado em seu interior. Então ela começou a se masturbar de leve ao nosso lado, me assistindo foder o rabo do seu namorado:

Eu comecei a provocá-la: gosta putinha, de ver ele dando o rabo? Ela: por incrível que pareça gosto sim! Eu: vc sabe exatamente o prazer que ele está sentindo né? Ela: sei sim tio, adoro quando vc me come assim! Eu: p/ quem não aceitava falar em dar o rabo, vc está bem saidinha né? Ela: pois é tio, eu não sabia das coisas, aprendi a gostar de pica do cú.

Tudo isto acontecia sem que eu parasse de come-lo. Eu provoquei-a: já descansou do gozo? Se já,tenho uma missão p/ vc aqui com a gente! Ela: o que é tio? Eu: quero comê-lo em pé, contra a parede, mas queria que vc chupasse ele enquanto eu como, p/ ele gozar na sua boquinha enquanto me dá o cú.

Ela sorriu e falou: vamos? Eu tirei a pica da bunda dele, dei-lhe um papa e falei, levanta putinha, fica em pé aqui encostado na parede e empina a bunda que vou de comer gostoso p/ vc gozar! Ele se levantou ficou de pé, apoio as mãos na parede e empinou a bunda.

Então chamei-a: vem aqui, abre a bunda dele p/ minha pica entrar fácil. Ela ficou do lado dele e com as 2 mãos separou as nádegas dele, expondo seu cuzinho, coloquei a pica na entrada e meti minha pica inteira dentro dele. Ele gemeu de tesão e ela comemorou: nossa tio, entrou tudo de uma vez só! Eu: é pq o cú dele está bem relaxado, já acostumado com a bitola da minha pica.

Segurei a cintura dele e comecei a bombar. Faleu com ela: senta da frente dele e chupa a pica dele, quero que ele goze assim, na sua boca e dando a bunda. Ela se ajeitou e antes de começar a chupar, falou: a pica dele está dura e babando tio, ele está com muito tesão dando o cú.

Assim que ela começou a chupá-lo ele começou a gemer mais alto: ahhhhh, que gostoso! Eu no ouvido dele: está gostando putinha? Ele: muito! Eu: o que dá mais prazer, minha pica no rabo ou a boca dela na sua pica? Ele: as 2 coisas são muito gostosas e juntas dão muito tesão.

Eu abraçava ele e socava a pica no cú dele, que entrava e saía fácil, então foi no ouvido dele e falei quase sussurrando p/ que ela não nos ouvisse: lembra que eu te disse que ia te comer na frente dela e com a aprovação dela? Pois é, curta este momento que ele está acontecendo agora.

Então me afastei dele, voltei a segurá-lo pela cintura e comecei a socar mais forte no cú dele, a medida que socava, falei com ele: se solta putinha, se solta e deixa o gozo vir, sente minha pica no seu cú, sente a boca dela na sua pica e goza, neste ritmo vou gozar junto com vc!

Ele começou a gemer mais alto: ahhhh tio, ai que gostoso, to quase gozando, me come, soca a pica em mim, to adorando dar p/ vc na frente da Raquel, ahhhhh que gostoso! Eu acelerei os movimentos, bombando forte e rápido, fazendo barulho quando nossos corpos se tocavam.

Não resisti muito mais e falei: vou gozar putinha, vou gozar dentro do seu rabinho, vou gozar te comendo na frente da Raquel! Ele: goza tio, goza no meu cú, goza que vou gozar também tio! Eu comecei a gemer mais alto, apertei as mãos na cintura dele e soquei forte, gozando muito dentro do cú dele.

Ele também começou a gemer alto e anunciou: ahhhhhhh, to gozando, pqp que delícia, to gozando, soca tio, chupa Raquel, ahhhhhh que gostoso!!!!!!!!!!!! Gozamos praticamente juntos, eu primeiro, enquanto eu gozava no cú dele ele gozou, derramando o leite dele dentro da boca da Raquel que chupava ele ao mesmo tempo.

Quando ele acabou o gozo, desengatei do cú dele, ele se abaixou ficando em frente a ela e beijou sua boca, que estava cheia da porra dele. Eles se beijaram apaixonadamente e durante um bom tempo, conversando depois descobri que ela compartilhou a porra com ele durante o beijo.

Ficamos os 3 ali sentados um tempo, curtindo a sensação pós gozo, conversamos um pouco, os 2 estavam felizes com o acontecido e agradeceram as experiências descobertas e tudo o que fizemos. Tivemos ainda uma última foda antes da minha esposa retorna de viagem, eu também assisti uma deles como voyeur só me masturbando.

Se gostaram da narrativa do conto, façam a gentileza de votar nele. Agradeço a todos!


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario voyspmen

voyspmen Comentou em 22/02/2016

votei em tds, queria muito conhecer os dois, pra fazer o mesmo q fez com eles abraços, parabéns




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


10805 - Surubão I - sacanagem planejada e executada c/ ela - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 8
10806 - Surubão II - uma sacanagem imprevista e deliciosa - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 6
11436 - Surubão III - Feitiço contra o feiticeiro - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 4
11728 - Paguei um travesti c/ 23cm e fui muito bem comido - Categoria: Travesti - Votos: 9
14340 - 2 bi + 1 gay = suruba e sacanagem no fds I - Categoria: Gays - Votos: 12
14341 - 2 bi + 1 gay = suruba e sacanagem no fds II - Categoria: Gays - Votos: 8
14368 - 2 bi + 1 gay = suruba e sacanagem no fds III - Categoria: Gays - Votos: 7
17174 - Revivendo a adolescencia 25 anos depois - Categoria: Gays - Votos: 14
20735 - Revivendo a adolescência 2 - Categoria: Gays - Votos: 8
28250 - Muita putaria na sauna - realizando os desejos - Categoria: Gays - Votos: 11
58710 - Paguei por 24cm de pica! Uma loucura!!! - Categoria: Gays - Votos: 30
65519 - Provoquei, Seduzi e Comi meu sobrinho (1 de 2) - Categoria: Incesto - Votos: 32
65846 - Provoquei, Seduzi e Comi meu sobrinho (2 de 2) - Categoria: Incesto - Votos: 23
65958 - Meu Sobrinho 23 anos e Eu – Putaria de Sábado 1/2 - Categoria: Incesto - Votos: 14
66476 - Meu Sobrinho 23 anos e Eu – Putaria de Sábado 2/2 - Categoria: Incesto - Votos: 16
76974 - Meu sobrinho trouxe a namorada dele p/ eu comer 1 - Categoria: Heterosexual - Votos: 15
77104 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 2 - Categoria: Heterosexual - Votos: 17
77173 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 3 - Categoria: Gays - Votos: 18
77202 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 4 - Categoria: Heterosexual - Votos: 11
77442 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 5 - Categoria: Heterosexual - Votos: 21
78261 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 6 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 19
78792 - Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 7 - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 15

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico heitor30cwb

Nome do conto:
Meu sobrinho trouxe a namorada p/ eu comer 8

Codigo do conto:
79382

Categoria:
Grupal e Orgias

Data da Publicação:
22/02/2016

Quant.de Votos:
18

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


pagamdo calsimha no metrocontoeroticodfcontos eroticos cabacinhos da familiaquadrinho espiando a mae mozto.ruregaso imtiada xvidiocontos erotico presente. para esposacontos eroticos a patroa passou mau e eu passei a vara nelaRelatos de sexo gay hetero skatista vendendo o curabo da minha putaContos reas papi arrombo meu cu na frente da mamaecontos eroticos part1fogosas do dwollandcontos erotico corno assumidosmarido quer ser corno contonovos contos eroticos de pastorescontos eroticos crentinhas virgemporno transando com a sogra gordatop contos eroticos hetero pag 6contos eroticos de garoto que deu a bunda e foi arrombado pelo trabalhador rural e seu amigoconto de não aguentei a pica grande de meu avôdp porno machuca contos casadasBeto Papakumeu filho me catou a forca conto eroticohq de sexo entre familianegan meteno no cu novinhacontos eroticos icesto de estrupoultimos contos sadoa puta daMinha irmaconto eroticoo pastor me comeu na marra com pauzao enorme contosConto meu cu cheio de leitex videos loiramenina conto eroticocontos eroticos gays de fui dormir na casa do meu tioo padrasto tarado ver a enteada se depilando e que fazer sexosconto erotico a mulher do.meu irmaowww conto erotico gay de irmao com irmao com brmaridinho bobinho contos eroticosmeu sobrinho conto eroticoaconto eroticoConto erotico de frutaldei na favela contos eroticoso cu do meu sobrinho contos pornocontoeroticoburrocontos eroticos de cunhada fudendo com o tioContos eroticos com fotos de podolatria chupando pes da prima dormindoswww sexo cartoon negros travestes senzalas comcontos cornos orgiasconto erotico com cunhadoconto erotico tive que ver minha namorada com os bandidos e não pude reagirConto erotico espiando minha mulher dentro do armario o amantecoto erotico equadrinho de mae vadiaContos heróicos brasileiro 2horas em HDcontos de incesto mãe ensinando filha a da bucetinha na infânciaContos eroticos -Sou casada e vi a pica do meu amigo pelo facebookcache:96w4Biafn4wJ:mozto.ru/fogoma Meu enteado negro dotado. Conto hetersexual.contos eróticos gay comendo o cu do garoto oferecidoarrombada com ajuda da mamaeconto pornMulhe mijano gala depois q tira a picaconto erotico gay ultimoscontocontoeroticosEu morando sozinho no meu ape a esposa do meu amigo ela veio no meu ape eu fudi ela conto eroticovídeo de pornô de Recife mulher boa para o Pouso da metendo putãocontos erótico coroa velho enrabou gay novinhojatos fortes de porra no fundo da minha bucetacontos ensesto mae rabuda provocando eu e meus amigosconto erotico de exibicionismo na praiaContos eroticos usando botas e luvassedutoras e marrentas parte dozecontos eroticos meu tio comeu minha esposacontos eroticos com vovo e papaifamilia sacana "tomando banho com papai"conto erotico vizinha vendedo doceMeu filho comeu minha buceta cabeluda casa dos contosgarototranzcontos eroticos orabao da madrinha