Flagrei e Filmei minha namorada dando

Click to this video!


Um dia que estávamos juntos ela deixou o telefone ao meu lado e recebeu uma mensagem do Jorge, um ex-namorado que continuava apaixonado por ela e que eu queria ver bem longe.
Perguntei-lhe se agora conviviam e ela tentou desconversar, disse que era por causa de um curso de inglês que ela queria fazer e que ele apenas estava a aconselha-la. Não acreditei nem me agradou, mas com tão pouco tempo que tínhamos juntos não queria passa-lo a discutir.
Certo fim-de-semana quis fazer-lhe uma surpresa. Marquei um dia de férias para sexta e fiz reserva num hotel de luxo, comprei champagne, rosas, tudo para lhe proporcionar uma noite romântica.
Disse-lhe que só a podia ir buscar ao fim da tarde depois de trabalhar, mas na verdade tinha tudo programado para estar em casa dela pouco depois do almoço.
Cheguei e estacionei o carro calmamente, dei a volta à casa e fui em direcção à janela da sala onde sei que ela costuma estudar por ser nas traseiras da casa e mais recatada. Foi aí que a surpresa se virou contra mim.
A Sara estava ajoelhada no chão em frente ao sofá onde o Jorge estava sentado, pelos movimentos vi que chupava o pau dele com sofreguidão. Vi a cara de prazer dele, como fechava os olhos e lhe agarrava o cabelo para a forçar a chupar e ela fazia a vontade. Podia imaginar os barulhos de sucção que enchiam a sala, como ela se engasgava com aquele pau enfiado até à garganta.
Ela tirou o vestido, de costas para mim podia admirar aquele corpo em forma de pêra, magro no tronco e alargando na bunda que eu amava agarrar quando metíamos. Com o vestido no chão caminhou em direcção a ele, pôs os peitos na boca dele e com a mão encaminhou o pau para a buceta.
Via como era ela que estava assanhada, ele mal se mexia no sofá limitando-se a agarrar o corpo dela conforme podia e ela fazia o trabalho todo. Quantas vezes isso teria acontecido antes ou seria a primeira vez isso não me interessava, ela estava a trair-me e cheia de vontade.
Quando voltei a olhar ela estava sentada no pau de frente para ele e cavalgava descontrolada no pau, via como se apoiava nos ombros dele para subir o corpo todo e depois meter até às bolas. Começou a descontrola-se.
“Fode a buceta, fode! Que saudades deste pau, continua que estou quase a vir-me!”, gemia como uma cadela no cio, saltava e podia ouvir o corpo dela bater no dele. Agarrada ao pescoço dele ondulava o corpo, fazia movimentos para o pau mexer dentro da buceta e roçar o grelhinho na pelvis dele. O pobre coitado nem podia acreditar na sorte que estava a ter e a cara dele mostrava isso.
Quando começámos a namorar ela pouco mais fazia que um franquinho assado, a partir daí começou a experimentar e conhecer novas posições e tornou-se perita. Ele estava maravilhado, com os olhos fechados urrava e segurava a bunda enquanto ela fazia tudo para se acabar. Até que parou, ficou mole, tinha gozado, mas ele não e queria.
Pegou nela, deitou-a em cima da mesa e meteu a língua fundo na buceta.
Arrancava-lhe gemidos, o corpo dela contorcia-se todo enquanto ele brincava com o grelinho e metia 2 dedos na buceta já vermelha.
Levantou-se e apontou, pude pela primeira vez ver o pau dele. Mulher quando tem fome de pau é uma desgraça, ela estava a trair-me e a acabar-se num pau mais pequeno e mais fino que o meu, ainda assim naquele momento era o que ela queria.
Começou a meter, com as pernas dela levantadas em direcção aos ombros meteu tudo. Podia ouvir os gemidos deles entre o barulho da mesa a ranger ao ritmo das estocadas.
“ai meu macho gostoso, mete bem no fundo da buceta mete!” ele mal se aguentou e largou tudo em cima dela urrando.
Ela foi para a casa de banho e ele vestiu-se para sair.
Passei o resto da tarde a pensar no que havia de fazer, como havia de reagir a tudo aquilo. Depois do que se tinha passado nunca mais poderia confiar nela. Pensava em pagar-lhe na mesma moeda e trai-la também.
À hora marcada fui busca-la a casa.
Vinha toda sorridente e bem disposta, com um vestido preto de renda pelo meio da perna, com um decote que lhe tornava os peitos ainda mais apetitosos e sem costas.
Decidi fazer de conta que não sabia de nada.
Fomos jantar e sair, bebemos e dançamos toda a noite.Chegando a hora de a levar a casa fiz a surpresa, fomos para o hotel e ela delirou com o quarto, as rosas e o champagne.
“Acho que pelo esforço mereço um boquete caprichado”. Com um sorriso safado ela ajoelhou e tirou meu pau de dentro das calças.
Abocanhou tudo naquela boca apertada e senti como os lábios grossos percorriam tudo da cabeça até ao saco. Daquela posição via para dentro do vestido, podia admirar os peitos enquanto ela mamava o meu pau.
Ainda assim tinha na cabeça a imagem dela a chupar o outro. Agarrei no cabelo e soquei na boca dela como nunca tinha feito.
Sempre realizava as fantasias dela, mas tendo atenção e cuidado para não a magoar. Naquela noite ia ser diferente, se ela queria ser puta então ia trata-la como tal.
Agarrava no cabelo para ela não afastar muito, com a outra mão segurava o pau e batia-lhe com ele na cara.
“Chupa até ao fim”, ela estava apreensiva mas continuava a chupar. Nessa noite foi a primeira vez que lhe enchi a boca com o meu leite. Gozei na boca e na cara dela e confesso que gostei. Olhar para baixo e ver a cara dela cheia do meu leite deu-me imenso tesão.
Insultou-me de tudo, disse que aquilo era coisa de puta e que não se fazia à namorada. Foi à casa de banho para lavar a cara.
Quando estava dobrada no lavatório a passar sabão fui por trás dela. Apertei-a contra o lavatório e, antes que pudesse virar-se levantei o vestido e soquei tudo de uma vez.
Deu um grito que se deve ter ouvido cá fora. Comecei a meter devagar, mas com força e fundo. Sentia como os pés dela levantavam um pouco do chão quando batia no fundo, adorava a sensação de ter o meu pau bem enterrado nela.
Ela virada para o espelho apoiava-se no lavatório e gemia. Via o reflexo dela, um misto de prazer e dor.
“Ai mete devagar! Tu hoje estás diferentes! Aaaaiiiiii por favor….!” Gemia com a voz trémula
Comecei a meter mais rápido, agarrava-a pelo quadril com uma mão enquanto a outra ia pela frente massajar o grelinho e via como os peitos abanavam a cada estocada. Ela gemia descontrolada, mas eu só tinha a imagem dela em cima do outro e isso não me deixava vir.
“ai que tu assim matas-me, mete devagar…”
De repente parei e tive de a segurar, perdeu a força nas pernas e por pouco não caía com a cara no lavatório.
Levei-a para o quarto, tirei-lhe o vestido e deitei-a na cama com o rabo para o ar.
Comecei a meter por trás, com as pernas abertas o suficiente para ele entrar eu metia num misto de prazer e raiva. Continuava a ama-la, a querer te-la, a querer dar-lhe todo o prazer que o corpo pode dar, mas a imagem de ela a dar para outro era demais para mim e sempre que me lembrava metia ainda mais forte e mais rápido.
Ela gemia com a cabeça metida na almofada, aproveitei a posição e comecei aos poucos a forçar um dedo para dentro do rabo dela. Massajei calmamente o botão até que o dedo entrou e os gemidos dela aumentaram.
“tu hoje estás de todo, que se passa? Nunca te vi assim! Continua…devagar, mas continua…”estava a gostar de sentir o pau na buceta e o dedo a entrar e sair do rabo.
Quando senti o anel relaxado tirei da buceta e comecei a forçar a cabeça, ela ferrou a almofada. Eu não ia parar, não a queria magoar, mas não ia parar enquanto as bolas não batecessem na buceta e foi isso que fiz.
Calmamente empurrei tudo e dei tempo para ela acostumar antes de começar um vai e vem lento. Sentia como me apertava o pau, como parecia que o ia partir ao meio, tirava até ficar preso pela cabeça e metia até sentir meu corpo bater no dela.
Olhava aquele corpo moreno completamente esticado, lembrava-me de todas as loucuras que tínhamos feito e de todo o prazer que ele me tinha dado, mas já não era só meu…
Puxei-lhe a cabeça para mim e meti o mais fundo que podia para descarregar tudo bem no fundo. Deixei o pau amolecer e sair sozinho.
Ela estava a recuperar o folego quando me levantei fui tomar banho sem dizer uma palavra.
Quando voltei para a cama falamos normalmente, disse que no dia seguinte poderíamos ir passear os dois.
“Vontade não me falta, mas tenho de estudar e já prometi à minha mae que a ajudava a arrumar a casa. Podias vir buscar-me à hora de hoje…”
Percebi que devia ter marcada mais uma visita com o Luís. Disse que não havia problema e que a iria buscar a partir das 19.
No dia seguinte antes de sairmos do hotel voltámos a meter, aproveitei a água do chuveiro para meter no rabo dela. Queria ver se depois daquela noite ela voltaria a ter vontade de sentar noutro pau,se tinha sido só fome ou se era um hábito.
Deixei-a em casa perto da hora de almoço, mas em vez de ir embora estacionei o carro longe e fiquei a trabalhar num café com vista para a rua dela. A meio da tarde vi-o chegar, cumprimentaram normalmente e foram para a casa do lado.
Dei uns minutos e voltei para o sítio do dia anterior, olhei pela janela da sala e não vi ninguém. Por um momento senti um alívio imenso no peito, quando espreitei a janela do lado (que dá para um dos quartos) tudo se perdeu. Ele estava encostado à parede enquanto se beijavam e a mão dela já estava dentro das calças dele.
Aproveitei a janela entreaberta e comecei a filmar com o telefone.
Ela despiu-o todo e atirou-o para a cama, tirou a roupa e foi em cima dele. Depois de uma chupadinhas virou-se e começaram um 69.
Do meu lado via a cabeça dele, as pernas dela bem abertas e a buceta ainda com sinais da noite anterior. Ele caiu de boca e os gemidos dela fizeram-se ouvir, com as mãos abria caminho e comia a buceta com fome.
“Ontem deste ao corninho? Tens o rabo com marcas de quem deu…” ela não dizia nada, só ouvia o barulho das suas chupadas e os gemidos que ia soltando.
Vi o corpo dela começar a descer, roçava a buceta pelo corpo dele até chegar ao pau e engoli-lo. De costas para ele começou a cavalgar, via como alternava entre saltar e esfregar a buceta e o grelinho no corpo dele com o pau bem metido.
“Aiiii meu macho, fode a tua putinha!!” com as mãos massajava o peito e ele aproveitava a posição para dar palmadas no rabo carnudo dela. “ai adoro esfregar meu grelinho nesse pau, achas que me consegues fazer gozar?!”
Maior que ela atirou-a para a cama, po-la de quatro e meteu por trás. Pela primeira vez ela ficou de frente para mim.
Via cada expressão da cara dela, via as tetas a abanar a cada estocada, via como ele agarrava o rabo dela para socar sem dó. “se és uma cadela, tens mais é que ficar nessa posição!”.
Quando me apercebi estava com pau a latejar de tão duro. Apesar da raiva que sentia não conseguia deixar de sentir tesão com aquela cena toda.
“vem-te comigo, não aguento mais, vem-te comigo” a cara dela estava desfigurada, ele tirou o pau e gozou em cima do rabo dela. De joelhos deu a volta e enterrou o pau na boca dela para o limpar.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario cornutto

cornutto Comentou em 22/11/2014

delicioso demais, nada como ser corno da mulher amada...

foto perfil usuario kbjr

kbjr Comentou em 20/11/2014

Ei corno compartilha o video

foto perfil usuario aventura.ctba

aventura.ctba Comentou em 20/11/2014

Adorei seu conto, simplesmente maravilhoso, teve meu voto. Tenho contos novos postados. Leia meus contos, comente, vote se gostar irei adorar. Bjs Ângela: Casal aventura.ctba




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


40611 - Quando descobri, já era tarde - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
43035 - Corno safado doidinho para ver a esposa fudendo. - Categoria: Traição/Corno - Votos: 4
55912 - MINHA ESPOSA DANDO PARA O PORTEIRO ! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
56058 - Minha esposa, e o SR Geraldo ! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 18
56114 - Dei minha mulher pro marido da minha prima comer - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
56250 - Surpresa em casa - Categoria: Traição/Corno - Votos: 29
56516 - Zelador Gostoso - Categoria: Traição/Corno - Votos: 13
56840 - FUI CORNO NA FESTA NO SÍTIO - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
56843 - Fui Corneado pela Amante - Categoria: Traição/Corno - Votos: 0
56847 - Fui Corneado pela Amante (Continuação) - Categoria: Traição/Corno - Votos: 1
57102 - MINHA ESPOSA DE FÉRIAS NA PRAIA - Categoria: Traição/Corno - Votos: 4
60351 - Experimentando o que desejou - Categoria: Fantasias - Votos: 1

Ficha do conto

Foto Perfil petroleiro
querovcgata

Nome do conto:
Flagrei e Filmei minha namorada dando

Codigo do conto:
56517

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
19/11/2014

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


bucetas pigadasConto eroteco emgravidei minha maea caminho da scanagemcomtos bdsmgordinhopassivo69conto erotico cunhado maconheiro gayperdi as preguinhas do cu quando era pequenavideo porno negao pintudo no medico urologistacontos incesto verdico de mae e filhoxxvideo mobile seios arrepiadoconto pornografico conto erotico mulheres esfoladas na pica grossa e gigantemenina conto eroticoContos eroticos hentai hd,medicaentiadacontoeroticoMeu marido viajano meu sogro dormiu comigo contocontos eróticos papai meu amorquadrinho herotico gaymoça vai ate A fazenda trepar com capataz dotadomeu filho me pegou com a buceta peludaquero ver meu marido comer o cu da minha irma. conto eroticocontos eroticos de patricinhas trasando na praiacontos eroticos como deixei meu filho me comercontodebucetinhasdesenhos de incestocontos fudendo a motorista carreteiraContos com fotos de gozadas nas calcinhas das sograsconto eróticos c afilhada b novinhabrcaandradeAğızsotao conto heterocontos gay me drogou e me vestiu de mulher pra me comercontos eróticos entre tio e sobrinha ainda bebezinha adotivaconto erotico cheio de tesaoComtos erotico putinha.Contos Eróticos De Gay Comi.a Bundamulheres gostosas na fodacontos eroticos gays com vaqueiroscontos de mulheres q fuderao com negros pausudospraia de nudismo contosminha sogra é um tesão gostosaminha puta conto eróticoeu arreganhei minha bucetao amigo negro do meu filho desenho enthai erotico em quadrinhoxivideos maça imperatorpau grande conto eroticocontos porno tabu.como sogro tarado 4pornocontosincestostexto e fotos de historia de porno titiu meio safado e inocente e subrinha safadacontos de flagraspalminhas conto eróticosContos eroticos meu irmãozinho d é um profissional em chupar bctpinguei feromonio de cadela na buceta da minha mulhercontos eroticos gay enrustidocontos eróticos com minha irmanzinhacontos eroticos part1porno conto exotico mãe contos eroticos de xifrudoscontos eroticos de sogra carentecontos eroticos eu de.comsaia.comno coletivoconto erotico corno fudidocontos eroticos madrinhawww.xvideo incesto afilhado fode madrinha de grelo enorme.comcinto de castidade uretral conto eroticocontos eroticos cunhada e sogrAcontos encoxadascontos eroticos gays com fotos fardadosmae ajuda o filho a bater uma punheta em contos eroticosarrombaram minha mae contos cornoscontos eroticos uma puta adora pica pretacontos novinhas gozando no onibusMinha primeira traição conto eroticoNegras exibindo Bucetas negras mozcontoseroticossodomizadacontos forcada zoofiliafodendo a buceta da tiaPau cabeçudo negroConto eróticos incesto