Dei por caridade pra um velhinho

Click to this video!


Este conto é real. Aconteceu em 1997, eu tinha 25 anos. Eu sou morena clara, 1,60 de altura, 54 k bem distribuídos, cabelos médio, cacheados e avermelhados. Bem vamos ao que interessa:
Com um problema na minha TV, numa tarde, passei numa assistência técnica. Uma lojinha pequena, mais ou menos próxima a minha casa na época.
Na recepção, bati no balcão e de trás de um vidro escuro, saiu um senhor de mais de 60 anos. Branquinho de cabelos quase que totalmente brancos.
Ele gentilmente me atendeu e me esclareceu as dúvidas. Pediu pra que eu levasse o aparelho lá, pq ele ñ tinha possibilidade de levar no momento.

Alguns dia depois, num final de tarde, voltei a oficina levando minha TV pra aquele senhor concertar.
Ele me pediu pra que entrasse na sua oficina que ele pudesse abrir o aparelho.
Eu entrei, ele abriu a TV e começou a falar sobre o defeito, e que teria que trocar peças, assim eu teria que deixar a tv lá por alguns dias.

Sentei, acendi um cigarro e começamos então a conversar.
Eu estava com uma saia preta no meio das coxas e ao cruzar as pernas notei que ele olhou, e confesso que fiquei excitada.
Ele se aproximou de mim pra falar mais de perto e não tirava os olhos das minhas pernas. Começou a me elogiar e perguntou se eu era solteira. Fui dando corda porque na realidade tava gostando daquela brincadeira.
Ele me perguntou se podia fechar a porta da frente da oficina, pq já estava na hora de ir embora e não queria atender mais nenhum cliente. Eu concordei e ao retornar da frente da oficina ele já estava com um olhar ainda mais safado pro meu lado.
Começou a falar dos pelos dourados das minhas pernas e que meus pés eram lindos e pequenos.
Puxou um banquinho e sentou-se a minha frente. Eu continue onde estava, sentada e nesse momento dei mais uma cruzada de perna. Ele enlouqueceu. Pediu pra pegar num dos meus pés e começou a falar coisas excitantes, se mostrando muito afim de ir mais adiante. E eu ia deixando.
Passou as mãos no meu tornozelo e foi subindo. Pediu pra eu mostrasse a minha calcinha pra ele, pois ele não pode deixar de ver que era preta, nas minhas cruzadas de pernas.

Eu estava adorando e acabei descruzando as pernas calmamente enquanto ele se aproxima ajoelhando-se no chão a minha frente.
Eu abri as pernas pra ele e mostrei minha calcinha, que era de renda preta, bem pequena sem elásticos dos lados, fácil de deixar-se acariciar na xoxota.
Ele então começou a beijar a parte interna das minhas coxas bronzeadas. Suas mãos tremiam segurando minhas pernas. E eu estava pra lá de excitada.
Ele puxou minha calcinha de lado e começou a beijar minha xoxota carnuda, ainda encima dos pelinhos, que estavam bem aparados. Não agüentei, fechei os olhos e abri as pernas em abandono.
Ele não excitou em tirar a minha calcinha, trêmulo e com os olhos fixos nas minha grutinha, que a essa altura, já estava completamente encharcada.
Não deu outra, ele chupou minha bucetinha com maestria e prática que só os homens experientes possuem. Sussurrava que meu grelinho estava delicioso e que estava louco pra sentir meu gozo na sua boca.
Eu gemia e pedia pra que ele me chupasse bem gostoso, enquanto segurava seus cabelos brancos...Ele sugava meu grelo como se fosse o ultimo na sua vida, e seu dedos brincavam na rodinha do meu cuzinho virgem de depois entraram, um, dois na minha xoxota molhada e quente.
Gozei...gozei... como uma louca, porque a situação assim permitia.
Ele olhava estaziado enquanto eu estava ali, jogada naquela pequena cadeira com as pernas abertas e a buceta piscando e molhada, com sua saliva e com meu próprio gozo...
Em seguida ele se levantou e foi para os fundos da oficina, eu ainda tava meio mole, mas fiquei pensando, “onde esse velho vai”?
Foi quando ele veio dos fundos com as calças abaixadas e colocando camisinha num pintinho branco e pequeno.
Ele queria então que eu retribuísse todo prazer que ele havia acabado de me proporcionar.
Senti nojo e piedade ao mesmo tempo. Levantei minha calcinha e fiquei de pé enquanto ele punhetava seu membro desprivilegiado pela natureza.
Vi uma fúria nos olhos dele quanto fiz menção de ir embora, mas me lembrei que a porta da frente estava trancada, ele então rapidamente veio e me puxou pelo braço e me colocou debruçada na sua bancada de trabalho, e ali, ao lada de chaves de fenda e fios, com a cara quase dentro de aparelhos eletrônicos ele ergueu minha sainha, abaixou minha calcinha e me fodeu, por trás. Seu pinto bombava folgado na minha chaninha alargada de tesão e louca por um membro grande e viril.
Ele abria a minha bunda e brincava com meu cuzinho enfiando a ponta daquele dedinho fino e sujo. Com a outra mão ele puxava meu cabelo e falava o quanto estava gostando de comer minha xaninha. Pedia pra eu rebolar no seu pau, e se podia se enfiar todinho no meu cuzinho, pra jorrar todo seu liquindo quentinho.
Eu, como nunca fiz anal, não deixei. Então ele tirou o caralho da minha xoxota e me virou de frente puxando pelos cabelos.Empurrou coisas e me pôs deitada naquela bancada. De frente agora, ele ergueu minha blusinha e passou a chupar meu seios pequenos, enquanto seu pau deslizava pra dentro da minha xaninha de novo.
Não contente, e ainda bombando e passou a acariciar meu grelo e passar os dedos nos grandes lábios da minha xana, que são grandes mesmo....
Olhando tudo aquilo que na minha buceta, o velho gritou...”Vagabunda gostosa....Pirainha...eu vou gozar nessa xoxotinha linda. E em poucos segundos gozou fechando os olhos e apertando meu grelo.

Eu não gozei desta vez, mas senti o muito prazer em fazer a caridade pra aquele velhinho.
Nem preciso dizer que o concerto da TV ficou de graça, mas eu não fui buscar, ele foi entregar e saiu me pedindo pra voltar na oficina assim que possível. Mas eu me mudei e não voltei lá até hoje.

Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.





Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico cris9719

Nome do conto:
Dei por caridade pra um velhinho

Codigo do conto:
3896

Categoria:
Heterosexual

Data da Publicação:
24/01/2005

Quant.de Votos:
1

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


desenho de padrasto pirocudo espiando a enteada dormindo comeucontos eroticos reais boqueteira viciadadom_cuervo@hotmail.comconto gay no cinema pornoContos ero onibus masturbconto massagem no bumbumgay querendo.rola em teresinavideo porno amador peguei a minha priminha sozinha em casa bebada e arranqei o cabaso delapadrinhos magicos porno gayconto erotico minha tiacostume de comer parente conto eroticaconto erótico arib jrcontos porno saga crepúsculocontonerotico menininhamenina com tezao da sonifero pro irmao e fode gostosoaronbando as pregas com pausadocontos eróticos gay meu primo comeu meu cuconto massagem no bumbumcontos porno: titioe eu gayPorno contos punheteira queria ver sairconto erotico do mendigocontos eroticos brechei minha madrastaContos eroticos punheteiro de cadeia irmãincestocontocontos de grelos enormes gozando encaixadinhos num sabao gostosovídeos porno de incesto mãe flagrando o filho cheirando suas calcinha usadascontos eroticos barbeiro raspando a nuca de uma mulherconto eroticopapai de penis lindoContos eroticos relatado por mulheres dentistazoofilia cachorro viciado emfuder buceta de mulher de quatroda uma balançadinha e da uma chupadinhaconto erotico rasgaram a bucetajaqueline massai fazer sexocontos eroticos medingo com um pau de 30cms fode casada rabudaputonanociodei a bucetapromeu filhoContoeroticonotrabalhocontos eróticos de discussão e reconciliaçãocontos eroticos gay de no onibosconto gang bang velhos na noramenininhaxvidioxxx desenho quadrinho gayos moleques acabaram com o casado conto erótico gayhistorinhas eroticas hentai em quadrinhos 2017 de estuprado pelo padre violentamentedom_cuervo@outlook.com conto erotico minha maeporno gay negão arregaçando o cu do mendigovidio.de.sexo.com padroto.castigado a entiada com denda dedada no cucontos eróticos de gay comido pelo padrinhoconto erotico boqueteirasexo gay de tapas na cara catarradascontos minha irmã casada adoro tapar comigocontos me chupa cornoconto veridico incesto papae roludocontos eroticomeu padrasto me cumeu na casa de praia na praiacontos eroticos gay perdendo cabacoContos heroticos lactofiliaMinha mulher e da pro vizinho roludo cu e buceta Roludoo 23 cm contos eroticoscontos eroticos diretores de escola chantageando novinhas virgensconto erotico desenhi despedidaconto me masturbo bastante minha xotahentai familia sacana banhando o vovoConto erotico de maesinha gostosa de camisolinha transparenteConto de puta depravada servindo a muitos machosgay sex stories pdfconto gay eu e meu irmao demos o cuxxxxxvideos sobrinho e tia moz manha 2016contos eroticos novinha chupei a rola grande e grossa do padrinhoconto erotico cunhada doente mentalcontos gay apartamentoxvideis 2017comi a minha tiaporno o pai da minha amiga me estrupouContos eróticos de gay fui comido pelo colega de trabalhoEu disse pra minha mulher que eu ia fuder o cu virgem da minha filha no motel conto erotico mozto.rucontos erotico novinha sofreucontos eroticos prima calcinhacontos eroticos de homem transando com o padrinho militar