Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Click to this video!


Então, como contei, as minhas meninas queriam saber sobre a minha primeira vez, e contei para elas que foi com um casal de irmãos, eu e ele fizemos até uma DP nela, mas descobri que ele também curtia dar o cuzinho e já tinha dado para um tio deles, então, pediram para que eu chamasse meu primo Zé, quando contei que ele vivia comendo o cu da molecada na região. Fui buscar o Zé e ele ficou cismado, ele tinha 16 na época e me disse que me quebraria se fosse sacanagem, mas quando entramos em casa e viu os dois ali na sala, ele de bermuda e ela com um vestidinho, os dois vendo um pornô, me olhou e disse: “ta bom, eu como o viadinho, mas vou comer essa bucetinha também!” e eu como era marrento disse: “ok, mas o cuzinho dela é meu!” Ele nem precisou aceitar, apresentei ele e em 5 minutos estávamos todos pelados. O pau do Zé era um pouco maior que o meu, mas mais fino, então, no filme duas mulheres chupavam um cara, e Ingrid foi engatinhando até o Zé e passou a chupar seu pau. Com a mãozinha chamou o Jorge para ajuda-la, e o Zé me olhava não acreditando naquilo. Fui por trás dela e comecei a brincar com os dedos na sua bucetinha, e ela foi dando espaço para o irmão e veio deitar comigo no chão e me pediu: “me chupa la embaixo!” Deitei e ela veio com aquela bucetinha rosada na minha cara enquanto abocanhava meu pau. Passei a ponta da língua em toda a bucetinha dela, tentava enfiar la dentro, não tinha nojo, mas não sabia o que fazer, até que passei a lamber mesmo, com a língua inteira, da entradinha da buceta até em cima, e isso a fez gemer mais forte e disse: “isso, assim mesmo, continua assim!”. Pus mais força e em segundos ela se arrepiou e gozou na minha cara, chegou a escorrer uma baba, mas continuei para que ela continuasse a me chupar. Sentei no chão com as costas no sofá e vi o Jorge voltar do quarto, e na mão dele tinha algo, vi ele baixar e passar aquilo no pau do Zé, e sem a menor cerimonia, virou de costas, apoiou as mãos no joelho e foi sentando no pau do meu primo. Ela se excitou com a cena, e veio com a bucetinha no meu pau e me disse: “ele vai gemer que nem um gatinho, e isso me deixa com muito tesão”. O Zé estava vermelho, e o Jorge com os olhos cerrados ia sentando até o fim no pau dele. Ingrid rebolava de costas para mim curtindo o irmão ser comido daquela forma. Quando o Jorge sentou até o fim, o Zé pegou ele pela cintura e ele começou a subir e descer gemendo, dizendo que estava bom e rebolava. Ficaram nessa posição um bom tempo, e quando o Zé disse que ia gozar ela levantou e disse para esperar, foi até o irmão e abocanhou seu pau, me olhou e disse: “Vem, mete e goza em mim, vamos gozar todo mundo junto!”. Nem pensei, ela ali com a bucetinha a mostra, de quatro, meti e arranquei um gemido dela, que chupava o irmão que subia e descia no pau do Zé. Jorge parecia estar em outro mundo, tanto que acariciava os cabelos da irmã muito provavelmente sem saber o que estava fazendo, pois ficou com os olhos fechados o tempo todo. ZÉ já não aguentava mais e passou a bombar mais forte e Jorge gozou no rosto da irmã e eu vendo aquilo tudo, no embalo, gozei na sua bucetinha, e ela gozou em seguida, e o Zé terminou o ciclo, encheu o cuzinho do Jorge de porra. O cheiro no ambiente era delicioso, sentamos no chão e a Ingrid foi verificar como ficou o cuzinho do irmão, e o Zé, ainda não acreditando naquilo apenas ria. Ingrid estava excitadíssima e chamou eu e o Zé para o banho, e lá ficou de costas para mim beijando a boca dele, e passou as pernas nele deixando ele comer a sua bucetinha. Fiquei ali brincando com os dedos no seu cuzinho e ela olhava para trás e sorria. Fomos para a cama, o Zé deitou, ela montou nele e ele comeu ela alguns minutos assim, até que peguei o creme, lambuzei o pau e encaixei no seu cuzinho. Ela pediu para o Zé parar e esperou até que eu enfiasse inteiro, ela empurrou o corpo para trás e fez como no dia anterior, ia pra a frente e levava pau na bucetinha, voltava e eu cravava no seu cuzinho. O Zé não estava acostumado com aquilo, ele comia só os moleques mesmo, nunca tinha comido uma bucetinha, então não conseguiu se segurar muito e logo gozou nela, então, saiu. Pude comer aquele cuzinho com vontade, estava viciando naquilo, e quando ela me olhou pedindo para gozar pois estava com dor nem pensei, inundei aquele cuzinho com vontade. Tomei um banho com ela e voltamos para a sala, e o Sergio estava com o pau do Zé na boca, chupava e enfiava inteiro, e quando chegamos perto ele disse: ”então, é para tomar tudo, não é para jogar fora não hein!” E o Sergio apenas fez que sim com a cabeça. Ingrid sentou ao lado do Zé afagando os cabelos do irmão que olhou para ela e sorriu, então o Zé passou a apertar os peitinhos dela e a chupa-los, e logo avisou: “isso viadinho, chupa assim e toma tudo tá!” e gozou, arqueou o corpo para trás e encheu a boca do Sérgio de porra, que ainda colocou a mão embaixo para não desperdiçar nada, engolindo tudo e lambendo o pau dele para deixar limpinho. Logo ele foi tomar banho e Ingrid foi com ele, e o Zé me disse: “caralho, que delicia, você ta comendo os dois?” Eu ri e disse que não, comia só ela, não curtia cu de macho não!” ele riu alto e disse onde que eu vi macho ali, o cara ia ser um viadinho daqueles bem safados, é do tipo que se bater na cara chupa até o seu pé! Rimos e ele disse que tinha que ir embora, mas que já tinha combinado com o viadinho, ia levar ele para conhecer um pessoal. Perguntei quem e ele disse: “é o seguinte, ele quer comer um cuzinho de homem também, então, vou levar ele na casa de um moleque que eu como, e enquanto eu como ele mete no moleque.” Disse para ele tomar cuidado, o moleque estava lá em casa, vai machucar o cara e sobra pra mim! Meu primo me olhou e disse: Cara, o que ele aguenta rindo você não aguenta chorando! Fui ver os dois no quarto e eles estavam dormindo, então o Zé foi embora e no dia seguinte veio cedo busca-lo! Ingrid quis ir junto e eu fiquei sozinho, logo depois do almoço eles voltaram, Jorge tomou banho e dormiu, e ela me contou: “uau, nem sabia que meu irmão era tão safado, chegamos na casa do amigo do Zé e tinham 2 meninos lá, o Zé tirou o pinto pra fora e mandou os três chuparem ele, e depois mandou o Jorge chupar os dois. Depois, colocou o Jorge de quatro e comeu ele, enquanto ele revezava na chupada nos pintos dos meninos. Depois um dos meninos comeu o Jorge e o Zé comeu o outro, depois o Zé comeu o Jorge de novo e o Jorge comeu um dos meninos”. Ai eu perguntei, e você? E ela me olhou com uma carinha sacana e disse: Fiquei só brincando com a minha bucetinha, pois sabia que quando voltasse você cuidaria de mim. Nos beijamos e transamos na sala, e depois de meter muito na sua bucetinha ela pediu para gozar no seu cuzinho, então, enchi aquele cuzinho delicioso de porra. Ficamos deitados no chão um tempo, mas quando olhei para a cozinha achei ter visto uma sombra, então fui ver o que era, e ali, peladão, dei de cara com a Helena, que andava de um lado para o outro, sem saber o que fazer. Ela me viu, deu um grito e cobriu os olhos. Ingrid viu e correu para o quarto, fui até a sala me vestir e fui falar com ela na cozinha. Ela me olhava assustada e eu perguntei: O que foi, nunca viu ninguém transando não? Ela gaguejou alguma coisa então eu a coloquei sentada e perguntei de novo, ela tomou um gole d’agua e disse: “o família do pecado, primeiro teu irmão me pega vendo ele pelado e abusa de mim, agora você fica fazendo isso na bunda das visitas!” O detalhe do meu irmão me acendeu, então apertei e ela contou que, quando ele trabalhava a tarde, toda manhã ele “abusava” dela, e agora não liga mais para ela. Pensei rápido, ela tinha 21 anos, morou a vida toda no sítio e agora morava com uma tia velha, era magrinha mas os seus peitões grandes se destacavam, então, passei a mão nos seus cabelos e disse: “bom, meu irmão não liga para você porque esta namorando, mas eu não estou, então, se você quiser, eu posso fazer o que fiz com a Ingrid com você!” Ela me olhou assustada e disse: “nem morta deixaria você colocar esse negócio na minha bunda, deve doer demais!” Bom, primeiro, ela disse na bunda, mas não disse no resto, mas mesmo assim, ela acha que dói, mas vamos provar o contrario. Passei a mão nos cabelos dela e beijei seu rosto, ela estava dura, beijei seu pescoço e ela ficou imóvel, passei a mão pelos seus seios e ela suspirou, então perguntei no seu ouvido: “conta pra mim o que o meu irmão fez!” ela gaguejou alguma coisa, então insisti: “você pôs o pinto dele na boca?” ela fez que sim! ”Ele colocou na sua bucetinha?” ela acenou que sim de novo! Então decidi resolver: “ele fez você gozar?” ela me olhou assustada e disse que não, alias, nem sabia como era! “mas ele gozou em você né!” Ela disse que sim, melecou as pernas dela! A esta altura eu já estava me achando o comedor, pois fiz com que ela se levantasse e abri os botões do seu vestido, ela tremia mas não me mandou parar. Tirei seus peitões para fora e chupei cada um deles, enquanto ela suspirava, e com a mão coloquei a sua calcinha de lado e brinquei com a sua buceta, que já estava melada! Naquele momento entendi um monte de coisas, principalmente que adoro mulher submissa, então, a fiz sentar na mesa e fui com a cara naquela buceta, ela me deteve perguntando o que eu ia fazer, então disse: “calma, vou fazer você gozar, já que meu irmão não fez, quero ser o primeiro”. Tirei a sua calcinha e abri o vestido inteiro, e dei de cara com uma buceta peluda, bem diferente da Ingrid, então, vendo os alvos que queria atacar, passei a massagear seus seios enquanto chupava a buceta dela. Ela começou a gemer e a tremer, e em poucos minutos apertou minha cabeça com as pernas e gozou, gemendo e falando coisas sem sentido. Quando chegava o fim ela me empurrou, se cobriu e saiu correndo, se vestindo no corredor e foi embora. Voltei para a sala rindo, e Ingrid estava ali me olhando, e disse: “uau, menino, você vou querer morar aqui, que fogo hein, nem a empregada escapa?” Beijei sua boca e fomos para o chuveiro, onde comi a sua bucetinha de novo!. Sergio dormiu o dia inteiro, acordou só para jantar, e voltou dormir. Minha mãe me perguntou se tínhamos aula no dia seguinte, e disse que não, era época de conselho de classe, então ela pegou o telefone e ligou para Helena, e eu ria por dentro da cena, pois a principio ela se recusou a vir pela manhã, depois aceitou, e minha mãe olhou pra mim e disse: “como essa menina é caipira, meu deus, o homem que pegar ela vai arrancar até a alma dela, é muito bobinha!” Assim que minha mãe deitou Ingrid me olhou e disse: mamãe ta criando um monstro e nem sabe!”
Dia seguinte levantei cedo e vi que Helena estava acelerada nas suas tarefas, esperei ela terminar e quando ela estava pronta para ir embora eu disse: “ei, onde vai?” vou embora, tenho muita coisa pra fazer em casa! “mas você nem me disse se gostou de ontem!” Para menino, isso é coisa do demo! “para com isso Heleninha, vem ca, me da um beijo!” Disse isso parado na porta, ela poderia ter ido embora se quisesse, mas veio devagar e parou no meio da cozinha e disse: O que você vai fazer comigo? “bom vou te beijar, coisa que meu irmão também não deve ter feito, depois, eu vou fazer o que você quiser, se quiser gozar de novo eu faço, se quiser me chupar, eu deixo, e ainda, se você quiser que eu faça com você o que o meu irmão fez, mas com mais carinho e direito, eu faço também!” Ela estava pálida, mas veio para perto de mim e nos beijamos. Trouxe ela para a sala e tirei seu vestido, ela não falava nada, então, tirei seu sutiã e pude ver aqueles peitões, chupei cada um deles e desci para a sua buceta, onde em minutos a fiz gozar de novo. Ela me empurrou e ameaçou levantar, mas eu disse: “vai embora? Agora que estava ficando bom!” Ela assustada disse: “para menino, isso é bom demais mas eu tenho medo, vou ficar falada! Eu ri e disse: você acha que alguém iria acreditar se eu contasse alguma coisa? Deixa de bobagem, vem cá! E deitamos no sofá. Abri as suas pernas e fui colocando meu pau devagar, e ela com os olhos fechados apenas gemia. Perguntei no seu ouvido: “ta gostoso assim?” Ela fez que sim! Passei a bombar nela e chupar os seus seios. Ela gemia e de novo, em poucos minutos gozou de novo. Ficou ali entregue, então coloquei ela de quatro e ela assustou, eu disse que faria somente o que ela quisesse, então passei a fuder sua buceta de novo, enquanto apertava seus seios e ela se transformou, rebolava e gemia alto, liberando a putinha que tinha dentro dela! Dei um tapão na sua bunda e ela me olhou assustada, mas logo gozou de novo! Ela pediu para parar um pouco pois não tinha mais ar, então sentei no sofá e ela deitou a cabeça no meu colo. Meu pau até doía de tão duro, então cm carinho fiz ela enfiar na boca e me chupar, Ela batia os dentes, esfregava na cara, e logo estava pronta e me perguntou como eu queria, então a trouxe para sentar no meu colo de frente para mim, e enquanto ela subia e descia no meu pau eu me deliciava com aqueles peitões. Aquilo estava uma delicia, mas vi que ela começou a ficar tensa, achei que ia gozar de novo, mas quando olhei para o lado vi que o Sergio comia a irmã no chão, e ela estava horrorizada com aquilo. Trouxe a sua atenção de volta para nós e com as mãos fazia ela subir e descer mais rápido, e ao ouvir a Ingrid gemer no pau do irmão ela gozou de novo e eu não segurei mais, enchi aquela buceta peluda de porra! Ela me abraçou e escondeu o rosto de vergonha do outro casal, então pisquei para o Sergio e ele perguntou; “e ai, ela é gostosa?” eu disse: deliciosa, cara, você precisa comer essa buceta, é apertadinha, deliciosa! Ingrid para a minha surpresa disse: Hummmm, parece ser deliciosa mesmo! Eles vieram e chuparam a Helena, senti linguadas no meu saco, não sei de quem, mas eles tiraram meu pau de dentro dela e chuparam muito a sua buceta, e ela, apenas apertava meus ombros e gemia. Meu pau estava duro de novo, então Jorge fez um gesto e eu tirei ela de cima de mim deixando ela naquela mesma posição, e ele foi enfiando o pau nela devagar, ela gemia alto e dizia algo sem sentido, então, sentei do lado dela e beijei sua boca, ela me olhava assustada, e quando viu Ingrid sentar no meu pau ela pirou, passou a rebolar no pau dele e teve mais um orgasmo, acho que o 5º. Do dia! Para botar fogo na situação, coloquei Ingrid ao seu lado e passei a meter no cuzinho dela, Helena olhava atenta e fazia caretas junto com ela, mas ficou mais tranquila quando Ingrid pediu para fude-la com mais força, e assim enchi o cuzinho dela em pouco tempo. Ficamos ali largados um tempão, até que Helena disse que precisava ir, fui com ela até o quintal e beijei a sua boca dizendo: 2ª. Feira seremos só nos dois de novo, então vou comer a sua bundinha tá! Ela me olhou e disse: “não vai não, você viu a coitadinha como gemeu?!” Sim, eu vi, mas vi que ela gozou muito também!” Ela foi embora e nós não tivemos muitas oportunidades de transar no fim de semana, mas nas semanas seguintes, toda a tarde eu comia a Helena, e quando a Ingrid não ia junto com o Sergio encontrar a molecada, ela vinha me ver e participava comigo da festinha com a empregada! Depois de um ano Helena arrumou um namorado, um capiau que acreditou que ela era virgem, mal sabia ele que ela gozava até dando o cuzinho pra mim. Transei com ela mesmo depois de casada, metia no seu cuzinho enquanto ela balançava o berço do filho dela. Com Ingrid fiquei transando por muito tempo, até os 18, quando meu pai foi transferido para SP, fui pra lá estudar mas sempre que podia voltava para a minha cidade, e ficava hospedado na casa deles, e nestas ocasiões visitávamos a Helena e acabávamos todos suados e saciados. Sergio casou, tem filhos, e ainda dá o cuzinho para o meu primo Zé, pois são sócios num negócio lá na cidade!
Nem preciso contar que contei isso para as minhas meninas e fui chupado quase que o tempo todo e terminei gozando no cuzinho da minha sobrinha em homenagem à Ingrid e Helena! Bom, depois eu conto mais algumas coisas que contei para elas, inclusive como foi a primeira vez da Edna!
Foto 1 do Conto erotico: Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Foto 2 do Conto erotico: Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Foto 3 do Conto erotico: Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Foto 4 do Conto erotico: Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Foto 5 do Conto erotico: Vida nova IV – histórias antigas - continuação


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.





Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


35787 - Vida Nova I - Categoria: Heterosexual - Votos: 17
35788 - Vida Nova II - Categoria: Incesto - Votos: 22
36008 - Vida nova III – histórias antigas - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 5
41775 - Vida Nova X – Minha afilhada - Categoria: Incesto - Votos: 9

Ficha do conto

Foto Perfil joaorei
joaorei

Nome do conto:
Vida nova IV – histórias antigas - continuação

Codigo do conto:
36012

Categoria:
Grupal e Orgias

Data da Publicação:
27/09/2013

Quant.de Votos:
6

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


contos de filhos e mães pelados na praia de nudismoPorno travestis dotados Conto erotico de novinho com cachorroconto porno roludoContos eróticos professor da academia comendo minha mulhercontos gay 2017doce nanda contos eroticosconto erotico clube do scatconto moreno novinho heteroconto gay troquei cu por empregoContos de sexo com sobrinha demenorcontos eroticocos de gay casados com mulher fuleramaegravidafilhocontowww,punheta2017,comcarnaval 2017 putaria de Moztreinando zangoose pornô Contoerotico filinhas netinhas sobrinhas teengravidezcompenischantagiei minha irmã parte 2porno encoxada na balada sentindo pau na mao e ela gostaConto erotico caminhoneiracontos de casadas que gosta negaoconto ofereci minha mulher para os amigosquadrinho pornô gayconto erotico gayconto erotico na viagem conhecemos um casal e o marido arrombou minha lindabuceta inchada e ardida macho deixou para o cornoquadrinho assedio pornocontos veridico marido nao sabe que sua mulher trai ele com o garoto mega dotadoContos eroticos comendo cu da irma com o cunhadoestuprado conto eroticocasado sendo penetrado no seu cuzinho pelo amigo,devagar e suave.Conto erotico meus pais meterao no meu cuzinho quando eu era pequenaContos eroticos com bezeirasporno em quadrinho traicaocontos mulher gostosa da pro travesti e pro cãocoroa cuzinho academia conto eroticoContos eroticos com imagems incesto avô fode netinha menorBondunda da mozContos eróticos com bezerracalcinha DE navinha querendo fodequadrinhos eróticos sinucative a vagina alargada contocontos dois montadores cuzinhoconto erotico com meu sogroa fazer sexo com a sogra de 36 anos viuva a forca na camapegaçao e lanbidas gaymaegravidafilhocontofodi gostoso/contoviciada em negros contosconto erotico sentou no fuzilos melhores contos de corno manso que bota sua esposa pra fude muito com o comedorconto erótico gay com estupro e muito sanguerodizio de pica/contoContos eróticos picantes de gays com fotos ilustrativasConto gay comido pelo coroa dominadorcontos fetiche por rola preta enormecontos eroticos incesto pauzudo.fudendo prima garotinhaminha irma mais nova contoscontos gay treinando meu pokemoncontos eroticos mulher dopadaincesto 6 em nome do pai e da filha phfamilia favela mulher dondo o cusinhocontos gay com montadorescontos+eroticos+e+excitantes+de+mulheres+loiras+e+brancas+casadas+que+e+taradas+por+negroes+bendotadoscontos de coroas da bunda grandeContos eroticos de crossdressercontos eróticos ilustrados de virgensContos ero onibus masturbTesao pela minha maeconto suruba e traicoes homens virgensconto erotico filho fode maeEroticotoAuuu zoofiliaContos Eróticos de Incestos Verídicos de mulheres gordinhas com idade 45anos ou mais e fotos delas peladasrelato erótico esposa patrao maridoo coroa pescador fudendo o amigo conto gaycontos eróticos abusando só de shortinho incestoMenininhas sapecas en contos reais acontecidos em 2012 gratis