Casada Gulosa no Carnaval Carioca

Click to this video!


Casada Gulosa no Carnaval Carioca

Olá queridos leitores, volto aqui depois de um bom tempo para contar a vocês algo que aconteceu no último carnaval.

Quero compartilhar com vocês uma deliciosa experiência real. Já adianto a todos, que costumo ser detalhista, sendo assim é um pouco longo, mas quem tiver paciência, acho que vai gostar, essa é a primeira parte dos dias deliciosos que passei no Rio de Janeiro na companhia de Daniel.

Os gatos dotados e criativos que gostarem e quiserem trocar mensagens e quem sabe uma amizade bem gostosa, me escrevam, meu e-mail está no final.

Tenho 35 anos, moro em uma cidade satélite de Brasília, sou casada, tenho um bom relacionamento com meu marido, ele é super atencioso, extrovertido, enfim, um marido que muitas mulheres gostariam de ter, pois se trata de uma pessoa que cuida de mim. Acontece nem tudo são flores, pois sou uma mulher muito fogosa e gulosa, gosto de sexo ao extremo e meu marido não é o tipo de homem que curte sexo todo dia e de todas as maneiras. Ele é um bom amante, mas apenas isso, bom, e eu confesso que queria muito mais dele. A alguns anos, eu venho tendo algumas experiências fora do casamento, pois já não suportava mais a rotina morna do nosso sexo, ainda mais por que ele goza muito rápido.

Deixem-me falar um pouco sobre mim, sou loira, tenho 1,68 de altura, 63 kg, olhos castanhos esverdeados, cabelos lisos e longos, pernas grossas e torneadas, seios de pequenos para médios, que mais parecem uma pêra. Sou muito vaidosa e frequento academia a fim de manter meu peso e medidas. O que se destaca no meu corpo é minha bunda, ela é grande, empinada e arrebitada, 105 cm de quadril. Confesso que ter um quadril largo e bunda grande ajuda o ego da mulher, recebo muitas cantadas e elogios, de homens e mulheres.

Desde que publiquei meu relato “Loira Casada e o Salva Vidas Tarado”, recebi alguns e-mails bem interessantes, de gatos de outros estados com os quais mantenho uma troca de mensagens bem interessante, um deles se chama Daniel, ele é carioca, mora no Rio de janeiro e trocamos mensagens cerca de uns 8 meses até que surgiu uma oportunidade nesse carnaval de nos conhecer pessoalmente. Eu ganhei a semana da quarta feira de cinzas toda de folga, sempre tive vontade de passar o carnaval no Rio, conhecer as praias e tudo mais, eu já tinha recebido um convite de uma amiga que mora lá, então não seria problema ter onde ficar. Conversei com meu marido sobre a viagem, mas ele não conseguiu liberação para passar o resto da semana, mas disse que eu deveria ir, pois era uma oportunidade boa para eu descansar e conhecer o Rio de Janeiro. Bem, se ele não poderia ir e estava me dando esse aval para ir, então tudo marcado, viajei na sexta feira e fui para casa de minha amiga. O Rio é uma cidade linda, tem pessoas lindas e as praias são maravilhosas, logo pela manhã no sábado fomos à praia de Copacabana, amei, achei bem movimenta. O dia foi maravilhoso, e então liguei para Daniel avisando que estava no Rio, eu já tinha avisado que ia e ele estava ansioso para me encontrar. Eu já tinha visto ele por fotos e Webcam, mas agora queria conhece-lo pessoalmente e marcamos para o dia seguinte, no domingo, pois minha amiga queria sair comigo à noite, e eu não teria tempo de conhecê-lo. Eu já tinha preparado uma desculpa para essa minha amiga, dizendo que eu precisava visitar uns parentes do meu marido e iria sair no Domingo à tarde, assim poderia ir à praia com Daniel.

No Domingo, peguei um taxi e me dirigi para a praia da Barra da Tijuca, eu usava um vestidinho azul claro, curtinho, sandalinha e um biquíni fio dental minúsculo. Assim que cheguei ele já me aguardava no local combinado, e eu então pude confirmar que era realmente tudo aquilo que eu havia visto em fotos e câmera. Daniel trabalha como Personal em uma academia, tem 28 anos, solteiro, é negro, 1,90 de altura, corpo malhado, pernas grossas e bonitas, e muito simpático. Assim que nos encontramos, ele me cumprimentou com um abraço caloroso, dizendo que estava ansioso por me ver e que eu era mais linda ainda ao vivo. Logo nos acomodamos em um lugar na praia, fiquei só de biquíni e então pedi para ele me ajudar a passar bronzeador nas costas, ele então disse ao mesmo tempo que espalhava óleo:

- Ver esse corpo bonito e essa bunda toda aqui pertinho de mim é tudo que eu aguardei durante 8 meses, vou te dar tudo que você precisa durante os dias que ficar aqui, você vai ser minha namoradinha puta e eu seu negão tarado, você vai fazer tudo que eu mandar escutou minha loira deliciosa?

Aquelas palavras já demonstravam o que estava por vir, apenas balancei a cabeça consentindo. Passamos o dia todo juntos na praia, ele super atencioso e sempre me dizendo coisas bem gostosas. Pude ver ele de sunga e notei o volume dentro do tecido, guardando o membro que eu já tinha visto por fotos, e que eu estava louca para experimentar. Como eu tinha que voltar para casa de minha amiga, pois ela queria me levar para o desfile das escolas de samba na Sapucaí, combinamos de nos ver na Terça Feira à noite, ele disse que me levaria a um baile de carnaval, que eu deveria ir vestida de forma bem gostosa e sensual para ele. A noite de domingo e segunda foram especiais, por ver o desfile das escolas do grupo especial, mas as palavras de Daniel ecoavam no meu ouvido, e eu aguardava ansiosa por nosso encontro. Terça feira chegou e mais uma vez disse à minha amiga que tinha que visitar familiares do meu marido que dariam uma festa, e por volta das 20:30 hs fui ao encontro de Daniel, coloquei uma mini saia rodada curtinha, uma blusinha de tecido fino leve, sem sutiã, sandália de salto alto, e uma calcinha fio dental de rendinha branca. Me encontrei com ele no local combinado, assim que me viu, disse que eu estava muito linda e gostosa, e que eu ia arrasar no baile, me deu um beijo na boca bem gostoso, pela primeira vez senti a língua daquele negro e senti meu corpo arrepiar. Entramos em seu carro e seguimos para uma comunidade, e logo chegamos ao baile, um enorme galpão, estava bem cheio e movimentado, entramos e Daniel conhecia muita gente. Tão logo entramos ele me levou a um grupo de 3 amigos dele e me apresentou a todos, todos negros, e percebi que eles já sabiam quem eu era. Daniel e eu ficamos com esse grupinho e logo estávamos à vontade, conversando, bebendo rindo e nos divertindo, eu aproveitava para sambar e sentia que eles me comiam com os olhos, ora ou outra Daniel me dava uma encoxada bem gostosa, me beijava, eu rebolava de costas pra ele, provocando-o com minha bunda. Teve um momento que ele me levou a um cantinho mais escurinho e ficamos nos beijando e nos amassando bem gostoso, ele me deixava de costas e me fazia esfregar a bunda no seu pau, dizia que eu era uma cavala mas que eu logo teria o que merecia, e nesse escurinho, ele abriu o zíper e pude sentir seu pau em minha mão, fiquei molhada na hora, pois era a primeira vez que segura um cacete daquele tamanho, 23 cm grosso e latejante, eu segurava seu pau abraçada de frente para ele, que falava ao meu ouvido:

- Quer esse pau dentro de você minha putinha loira de Brasília?

- Quero ele inteiro! – Respondi.

- Pois ele vai ser todo seu até o dia que você voltar para casa, mas vai ter que fazer todas as minhas vontades e tudo que eu mandar, você está disposta a ser minha putinha obediente?

Ele falava isso já com a mão na minha bucetinha, brincando com meu grelinho, me deixando louca de tesão, e eu falava, mesmo sem saber o que ele tinha em mente:

- Sim, vou fazer suas vontades meu negro safado.

Nesse momento ele guardou seu cacete, me deu um beijo demorado e me levou de volta à rodinha de amigos dele, ficamos cerca de uns 40 minutos dançando até que mais uma vez fomos para o cantinho escuro, onde já havia alguns casais numa pegação pra lá de excitante e então Daniel começou a me usar, dizendo:

- Estou devendo um favor a um amigo da comunidade, e você vai pagar ela pra mim! Ele vai vir aqui daqui a pouco, e ele quer apenas uma diversão leve, eu já avisei que ele não pode meter em você, e que você irá apenas punhetar ele, tá escutando?

Fiquei sem fala, agora não tinha mais volta, eu estava ali no Rio, em um baile de carnaval, vivendo algo real, e que de certa forma sempre tive vontade, as palavras de Daniel eram de um cafetão, mas me passavam segurança, ele saiu e menos de 5 minutos depois me aparece um coroa mulato, cerca de uns 45 anos, corpo enxuto e com uma cara de safado enorme, já chegou falando:

- O Daniel é um cara de sorte mesmo, você é uma loira cavala muito gostosa sabia, essa sua bunda é deliciosa, pena que ele me deu autorização apenas para tocar em você, mas no dia que quiser um coroa bem tarado, estou aqui viu loirinha, agora vém cá, quero sentir essa mãozinha no meu pau.

Ele encostou na parede e tirou pra fora um pau já duro, grosso. Aquela situação de certa forma me deixava muito molhada, segurei seu pau e comecei a punhetá-lo, sua mão logo estava na minha bucetinha, totalmente lisa e muito encharcada. Ele me fez ficar de costas para ele e esfregou a vara na minha bunda, disse que eu era deliciosa e que merecia vara a noite toda. Voltei a punhetar seu pau e cerca de uns 10 minutos depois ele gozava na minha mão uma grande quantidade de porra, foi gostoso e excitante, ele se recompôs e disse que eu deveria aguardar ali mesmo. Limpei minha mão e assim que terminei Daniel apareceu, dizendo que eu tinha feito tudo direitinho, e que iríamos embora, passamos pelo grupo de amigos dele, nos despedimos e saímos. No caminho ele passava a mão em minhas coxas, me chamando de gostosa, de safada. Chegando em sua casa, que prefiro não mencionar onde fica, ele me deu uma toalha e disse para eu tomar um banho bem gostoso em seu quarto o encontrasse na sala, que ficasse apenas de salto alto, e que ele tomaria um banho no outro banheiro, e assim eu fiz. Após o banho fiquei nua e fui para a sala usando apenas sandália de salto, ele me esperava sentado no sofá, totalmente nu, pernas entre abertas e exibindo sua vara negra grande e grossa. Me chamou até ele e disse:

- Hoje eu vou comer você do jeito que eu sempre disse que faria em nossas conversas, vou te fazer gozar diversas vezes e no final vou meter meu pau nessa bunda deliciosa que você tem que todos meus amigos desejaram no baile.

Ele ficou de pé e me beijou, senti seu pau duro na minha barriga, sua boca logo desceu até meus seios e ficou mamando ora um, ora outro. Me virou de costas, me colocou de quatro no sofá com a bunda arrebitada para ele e então passou a me torturar com sua língua hábil e quente, indo direto ao meu cuzinho, que recebeu linguadas longas e bem ousadas. Ajoelhado atrás de mim, ele agora colocava a língua na minha buceta e deslizava até minha bunda, o que me fazia ver estrelas: - Ai, chupa Dan, me lambe toda, você está me deixando maluca de tesão, eu sempre quis dar para um carioca safado como você, ai, que boca gostosa.

Daniel me lambia com uma maestria tremenda, ela quase me fodia com sua língua. Ele então se colocou deitado no sofá, me fazendo sentar em seu rosto e agora eu podia também me deliciar com seu pau, em um sessenta e nove cheio de tesão. Minha bucetinha com lábios médios e totalmente lisinha recebia sua língua, eu mexia os quadris na boca fazendo-o explorar cada cantinho. Reclinei meu corpo ficando com seu pau à minha disposição, ele todo depilado, a cabeça era grande estava molhada, passei a língua sorvendo aquele líquido com sabor de macho e então passei a fazer aquilo que eu tanto gosto: CHUPAR UM CACETE. O pau de Daniel era grande, logo eu não conseguia abocanhá-lo por inteiro, mas colocava na boca o que eu conseguia, sem tocar as mãos, usava só a boca para segurá-lo, mamava lentamente, lambia seu saco liso e com bolas grandes. Daniel me torturava com sua língua e eu não aguentei mais tempo e tive meu primeiro orgasmo, com ele lambendo meu clitóris:

- Ai, tô gozando, ai que gostoso, ai, hum, assim, que delícia, que língua, ai, quero ser sua puta Dan, que tesão.

E assim gozei na sua boca de forma bem intensa, ficando com o corpo mole. Daniel então sentou, e me fez ficar de quatro no sofá ao seu lado, com a boca em seu pau, enquanto ele passava a mão em minha xaninha agora mais molhada do que antes e em minha bunda, enfiava o dedo em mim:

- Chupa puta, chupa esse pau preto que vai te comer toda, sua cavala, deixa ele bem molhado, pois vou enfiar ele todo dentro de você.

Eu mamava aquele cacete preto da forma mais ousada possível, queria dar prazer a ele, pois ele me fazia sentir um prazer incrível, mesmo sem ter me penetrado ainda. Eu colocava a metade do pau na boca e ia tirando devagar, deixando minha saliva escorrer nele, ficando todo molhado. Passei então a punheta-lo com minha boca, subindo e descendo, sem tirar totalmente, minha boca ficava preenchida, cheia de carne latejante. Ele parou por um momento, ficou de pé e me colocou de joelhos na sua frente no chão, dizendo:

- Puta loira chupa assim, de joelhos na minha frente. Engole safada!

Abri a boca e voltei a chupar sua vara, agora parecia ainda maior, uma sensação de medo e tesão tomava conta do meu corpo, e espera do momento em que receberia tudo aquilo dentro de mim !

Daniel agora segurava minha cabeça e forçava seu pau na minha boca, tentava me fazer engoli-lo, o que era impossível, mas o que ele queria mesmo era mostrar que ele estava no comando, me dominando, me usando e isso me excitava, ele então ficou tirando e colocando o pau, fudendo meus lábios, aquilo era muito gostoso e ao levar minha mão ao clitóris, tive mais uma vez um orgasmo, apenas chupando aquela vara tesuda e deliciosa, foi um gozo gostoso. Ele então me colocou de quatro no sofá, colocou uma camisinha, e disse que uma égua como eu deve ser sempre saboreada de quatro, com as pernas levemente abertas, pincelou a entrada de minha buceta segurou em meus quadris e devagar foi enfiando seu pau negro, a sensação era deliciosa, sentia sua vara me rasgar, mas eu estava muito molhada e isso ajudou a receber cada um dos seus 23 cm, ele só parou quando tudo estava dentro de mim e disse:

- Caralho, que visão deliciosa, esse rabão de quatro, essa buceta molhada e meu pau dentro de você minha loira, você é mesmo uma puta deliciosa.

Então eu respondi:

- Então me fode meu negro, me come, quero ser sua puta, sua cadela, me faz gozar de novo com esse pau.

Isso bastou para que ele passasse então e meter de uma forma selvagem, como um cavalo fudendo sua égua, ela segurava em minha cintura e enfiava tudo de uma vez, sem dó. As vezes segurava meus cabelos, como se fossem rédeas e dava tapas em minha bunda, me xingando. Mudamos de posição e agora ele estava sentado e eu cavalgando seu pau, sentando e levantando de frente para ele, que mamava meus seios como uma criança. As vezes eu parava sentada com ele todo dentro de mim, e beijava sua boca gostosa, sentia a vara latejar dentro de mim, como era boa aquela sensação. Girei o corpo e fiquei de costas, deixando minha bunda virada pra ele, e cavalguei, rebolei os quadris, gemia alto, sem me importar com mais nada, a não ser aquele momento. Daniel era um tremendo comedor e sabia conduzir cada momento, eu, louca de tesão mais uma vez gozei, agora com ele todo dentro de mim, e foi um gozo profundo, intenso, tanto que meu corpo cedeu em cima do dele, pois eu realmente perdi os sentidos. Nossos corpos suados, molhados, ele então se levantou, me pegou em seu colo de frente pra ele, colocou o pau dentro de mim novamente e me segurou assim por algum tempo, e depois caminhou para seu quarto, fomos para o chuveiro e tomamos um banho frio delicioso, que refrescou nosso tesão, mas não o abaixou. Molhados como estávamos fomos para sua enorme cama king size, que era alta, ele me fez deitar o corpo sobre ela, ficando com as pernas no chão, entre abertas, e voltou a me chupar, dessa vez deu ainda mais atenção ao meu cuzinho, lambia, enfiava a língua e logo senti seu dedo nele, minha excitação era tão grande que a sensação foi gostosa. Ele lambia minha bucetinha, enfiava um dedo em meu cuzinho me fazendo ficar cada vez mais molhada, e assim como eu estava, mais uma vez ele enfiou sua vara dentro de mim, juro que vi estrelas, pois sua vara de 23 cm me deixava zonza. Eu com o corpo deitado na cama, braços estendidos, como uma escrava branca sendo devorada por seu dono negro, ele dava tapas em minha bunda, me comia, me dominava, sempre falando coisas que me excitavam:

- Que gostosa essa sua buceta, que safada, que tesuda você é, rebola vadia, rebola no meu pau, assim!

Eu escutava e obedecia a tudo que ele mandava. Ele me empurrou pra cima da cama, me deixando de quatro com os quadris arqueados e o busto grudado na cama, toda aberta pra ele, que deu mais uma lambida gostosa e meteu sem dó a pica em mim, e agora eu também recebia um dedo na bunda, num pequena sensação de dupla penetração, o que me fazia lembrar dos muitos filmes que já vi e quis fazer parte. Ele metia sem dó, me tratava como vagabunda, dava tapas em mim, logo eram 2 dedos no meu rabinho semi virgem, que eu só dou pra comedores criativos e safados, meu marido nunca fez anal comigo, mesmo insistindo muito, eu nunca dei minha bunda pra ele, mas para Daniel, apesar do medo pelos seus 23 cm, eu sabia que seria impossível negar. Deitamos na cama, fiquei de costas pra ele e de ladinho ele me comeu, beijando minha boca, brincando com meus seios, mexendo em meu grelinho, eu ficava maravilhada com seu domínio sobre mim, e como ele me comia gostoso e não demonstrava nenhum sinal que estava para gozar, me comeu assim por um bom tempo até que ele disse:

- Agora quero gozar, e eu só consigo gozar se eu comer um cu, e hoje o seu foi premiado.

Aquelas palavras me deixaram com um certo medo, eu jamais tinha feito anal com um pau daquele tamanho, mas não havia como voltar atrás e na verdade, eu queria passar por aquilo. Mais uma vez fui colocada de quarto, ele lambeu e enfiava seus dedos dentro de mim, me preparando para o que estava por vir, manipulava meu grelo afim de me deixar relaxada e excitada, até que ele se posicionou atrás de mim, colocou a cabeça na entrada do meu rabinho, segurou em minha cintura e começou a tentar enfiar. Acho que o nervosismo pelo tamanho de seu pau, me faziam ficar retraída, e ele voltava a me lamber, enfiar seus dedos e tentava novamente, isso durou cerca de uns 15 minutos até que a cabeça passou e eu dei um grito de dor, parecia que eu estava sendo rasgada ao meio, mas ele não se importou, ficou parado assim por algum tempo, e ficou mechando em meu clitóris, o que ajudou eu me acostumar, pouco a pouco, com tremenda maestria, e com o tesão que eu sentia com seu toque em minha buceta, eu mesma fui jogando o corpo para trás, e para meu próprio espanto, senti seu saco atrás mim, o que demonstrava que eu tinha agasalhado todo seu cacete na bunda, foi uma mistura de vitória e prazer que consumiram meu corpo, e eu disse:

- Seu pau tá me rasgando Dan, ele é muito grande, tá doendo, mas quero ser sua putinha obediente e quero me me coma do jeito que você quiser.

E ele respondeu:

- É assim que eu gosto, puta obediente, e agora, esse seu rabo gostoso e grande vai ser meu sua safada!

Daniel começou a fuder minha bunda devagar, para não me machucar, para que eu acostumasse de vez com seu pau dentro de mim. Eu me sentia a própria atriz pornô Babalu transando com o delicioso Kid Bengala. Fui enrabada de quatro como eu sempre quis, de forma ousada e com um dotado bem tarado que me dominava. Mudamos de posição e agora eu sentava sem sua vara, fazia ela sumir no meu cuzinho, agora já mais relaxado, sentava e levantava olhando para sua cara de tarado, passava a língua nos lábios demonstrando que estava gostando de ser enrabada por ele:

- Como é gostoso seu pau na minha bunda Dan, ser enrabada por você é muito gostoso.

Ele falava:

- Rebola minha safada, sente meu pauzão dentro desse cu apertado!

Cavalguei como uma amazona. Depois ficamos de ladinho e ele continuou me comendo, me enrabando, me usando. Nossos corpos estavam ensopados e resolvemos novamente tomar uma chuveirada. Debaixo da água nos refrescamos e eu pedi para ele me comer ali mesmo e de pé, de costas para ele, com as mãos apoiadas na parede, senti ele enfiar a vara no meu rabo, passei a rebolar com ele dentro de mim, seu pau parecia cada vez maior, cada vez mais grosso, ele metia vigorosamente, dava tapas em meu rosto, me chingando de todas as formas, minhas pernas começaram a ficar bambas e nesse momento eu tive meu primeiro orgasmo com um pau no cu, confesso que foi diferente mas não menos intenso que os anteriores, o que me fez cada vez mais jogar o corpo para tras desejando que ele colocasse todos seus 23 cm dentro de mim. Essa minha entrega e por todo o tempo que já estávamos transando fizeram ele entrar em êxtase e num súbito momento, ele tirou seu pau de dentro de mim, arrancou a camisinha, me colocou de joelhos e enfiou o pau na minha boca, e gozou em seguida, jorrando uma quantidade enorme de porra, que eu ia bebendo, engolindo, mas era muita e um pouco saiu pelo canto da minha boca. Nunca tinha visto alguém gozar tamanha quantidade de porra. Fiquei ali mamando até a ultima gota sair, ajoelhada, e com seu pau semi flácido na boca, que ainda assim era grande.

Terminamos nosso banho e fomos para a cama, para minha surpresa eram 06:00 hs da manhã, tínhamos chegado na casa dele por volta de 00:00, tínhamos ficado a madrugada toda fazendo sexo. Acabamos pegando no sono e acordamos por volta de umas 12:00 hs. Me vesti e disse que tinha que ir embora, pensei que ele me levaria na casa de minha amiga, mas ele disse que iria descansar, me deu dinheiro, chamou um taxi e disse que tinha amado a noite, que eu tinha me comportado como uma puta e que puta vai embora de taxi. Vi que era uma forma de ele continuar me dominando. Ele disse ainda para eu dar um jeito e ir ficar com ele de quinta até o dia que eu fosse embora, que eu dissesse para minha amiga que os familiares do marido cobraram minha presença na casa deles também e que eu não podia negar. Disse que daria um jeito, me despedi e fui embora.

Foi a primeira noite de outras que tive muito ousadas e gostosas, onde Daniel me usou como sua namoradinha puta e posso dizer que tive momentos bem explícitos com ele.

Você que leu esse relato e gostou, é um rapaz criativo, gosta de amizade com uma loira casada, gulosa, fogosa e que é gamada em chupar um pau bem gostoso, me escreva, quem sabe você não é o próximo a me usar bem gostoso. Quero contato primeiramente para uma amizade, não saio por aí com um e outro, sou seletiva e gosto de homem criativo e de bom papo, dou preferencia aos Bem Dotados, mas quero trocar mensagens com todos que queiram uma troca de e-mails e experiências.

Enviarei em breve a continuação desse relato, contando todas as travessuras que Daniel fez comigo.

Aguardo e-mails de vocês gatos
Beijos a todos e até breve.



Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario gatoreno

gatoreno Comentou em 27/03/2012

maravilhoso conto linda vc realmente parece ser bem gostosa e narra muito bem suas aventuras parabéns bjs

foto perfil usuario negaosafado23cm

negaosafado23cm Comentou em 27/03/2012

MUITO BOM SEU CONTO VIU LINDA! ESSE E O MEU EMAIL MI ADD NEGAO.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


10690 - Loira Casada Descobre o Prazer - Categoria: Traição/Corno - Votos: 4
10789 - Loira Casada e seiu instrutor Mulato - Categoria: Traição/Corno - Votos: 5
11009 - Loira Casada faz anal pela 1º Vez - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
11611 - Loira Casada e o Salva Vidas Tarado – Parte 02 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 1
11792 - Loira Casada e o Salva Vidas Tarado – Parte 01 - Categoria: Heterosexual - Votos: 5
12089 - Loira e suas Aventuras – Sexo gostoso no Clube - Categoria: Heterosexual - Votos: 1
12180 - Sexo gostoso depois do churrasco - Categoria: Heterosexual - Votos: 3
28691 - O BOMBEIRO GOZOU NA MINHA BOCA - Categoria: Heterosexual - Votos: 5
64359 - Mamando Salva Vidas em Vitória ES - Categoria: Heterosexual - Votos: 8
64728 - Meu Bombeiro Tarado - Categoria: Heterosexual - Votos: 4
111109 - Loira Liberada, Negro Baiano, Sexo Selvagem. BEBENDO LEITE EM ILHÉUS - Categoria: Heterosexual - Votos: 23

Ficha do conto

Foto Perfil Conto Erotico loira casada

Nome do conto:
Casada Gulosa no Carnaval Carioca

Codigo do conto:
16450

Categoria:
Heterosexual

Data da Publicação:
23/03/2012

Quant.de Votos:
3

Quant.de Fotos:
0


Online porn video at mobile phone


rabudas nao contoconto erotico grupal com bebadasGugamrapvideos de sexo tv com sogro incentivando ás noras a trazar com eleconto erótico incesto meu marido comeu a bucetinha da nossa filha e eu aproveitei pra dar gosstoso pro nosso filhonovinha fazendo sexo peladinha daqui 18 anos bem alegrinhaconto erotico comendo o cu da Drica negacazadaGostosas sendo arronbandas por negão em quadrinhoesposa chapada contoultimos contos sadothalia conto travesti com fotosconto erotico traveco mexeu comigowww.primascontoseroticos.comcontos surrou minha mulherpedindo pru amante gosar denntrro ds busetaporn em quadrinhos pegando a tiaconto erotivo ci de bebada nao tem donoContos gay pau pequenodei a bunda e gozei com o pau tocando minha próststahormonios femininos conto eroticominha irma casada conto eroticoSexo,com,cliente conto eroticoconto porno teen gay free mulato favelamarceneiro comeu boy gay contodoce vingança em sexo rasga a calcinha da mulher e come elaConto erotico fui corno inlustrado blogscontos eroticos eu filha novinha me entreguei pela 1 vez para meu papaipaitava peladoContos eroticos comendo a medicacontos eróticos dando pra negros bem dotadosconto bebi porraconto erotico no mato em portugalsogro japa pega anora japa aforcça xvidiosmae filho filha conto pornoporno história de experiência conjugaisconto erotico comi a menininhacontos eroticos enquanto eu dormiadeu a buceta no presidio contoswalter comeu minha esposaFestas menage aclimação swing sexocontos erótico glauciaaquele moleque me trepou com toda sua garra conto eróticoxupei pau no cinema contoseu jose conto eroticoconto erotico com amiga de escola peludameu marido peladoultimos contos sadoQuadrinhos sraexplicitaAlyamirantinanefiquei bebada e me levaram pra orgiacontoerotico desde de pequena meu vôconto erotico tomando banho com minha maeConto erotico meu aproveitei do meu pai bebadocontoerotico fudida pelo marido e sogrocontos comi irma na viagem pornoo velho e minha esposa cavalona e timida contos eroticoscalcinha mijada contos eroticos1° vez masturbando contoeroticocomeu a irmã e código e gozou dentro da buceta delacoroa suplica rola do negaoConto erotico maridinho e meu microshortinhoconto de homem casado sendo penetradoquadrinhos de sexo anal com netinhascontosgays incestoultimoscontos de cú de tiaConto erotico gay cunhados sexo cueca volume tesão pau suor chupada camao renato de bunda de vora pelado e meio gordinoboquete no cavalohpassrj@yahoo.com.brconto erotico coloconto erotico minha namorada dançando forro com meu tioconto porno babamamãe+mamãe.papai++nua50 sentimetro de pica rasgando a buseta da insestefetiche choquinho analJuanzito cantos eroticos