SELMA A BONEQUINHA (1)

Click to this video!


Selma a bonequinha (1)

Eu ainda estava assustada e viajando nos meus pensamentos quando ele voltou. Parou em pé na minha frente e deu pra notar o volume na sua caça, mas seu cacete não estava mais tão duro. O cheiro de porra que exalava daquela calça me deixou mais doida ainda porque quando ele falou comigo eu não entendi nada e perguntei distraída: - O que você falou? Não entendi! E ele então me falou: - Ah! Eu só perguntei se você queria pegar mais manga pra chupar ou pra levar, só isso!
Naquela hora eu pensei comigo mesma: - Sei! Ele está é a fim de ficar atrás de mim de novo com aquela rola enorme encostada na minha bundinha. Que cara tarado!
Como estávamos só nos dois ali, resolvi fazer o jogo dele e ver até aonde ia aquilo. Parei embaixo dos galhos com algumas mangas e me deixei ser levantada de novo pelos braços dele. Fingia que não ligava quando ele me encoxava e se esfregava atrás de mim, enquanto me erguia e me abaixava. Rapidinho, seu cacete ficou duro de novo e eu aproveitava pra tocar com as polpinhas do meu bumbum naquela coisa dura, por baixo da sua calça. Foi a primeira vez que senti meu cuzinho se contrair de tesão e me deixar cheia das vontades de uma fêmea.
Ainda meia sem saber o que fazer me livrei com muito jeitinho dos braços fortes e quentes dele, falei que ia embora porque as mangas já eram suficientes e agradeci. Já estava saindo quando percebi que ajeitou o cacete dentro da calça e falou: - Tudo bem! Quando você quiser a gente pode voltar aqui, ta? Eu só balancei a cabeça e não olhei pra trás, mas sabia que ele estava devorando com os olhos o meu rabinho.
Quando cheguei em casa a minha mãe me chamou e me disse: - Selma, preciso te perguntar uma coisa. Vou ter que viajar até Belém do Pará pra resolver algumas coisas de ordem financeira. Devo levar uns 3 a 4 dias por lá, você quer ir comigo ou prefere ficar? Eu ainda cansada da viagem que tinha feito respondi que preferia ficar, se ela não se importa-se. Ela então falou que iria arrumar as malas porque um táxi chegaria daqui umas 2 horas, mais ou menos, pra leva-la até o aeroporto de Tocantins. Ainda me disse, que se eu precisasse de alguma coisa era pra falar com o caseiro e que o numero do celular dela estava na agenda na mesa do escritório. Eu agradeci e subi para o meu quarto. Pra falar a verdade eu só pensava no jardineiro e no que tinha acontecido ainda a pouco. Eu me sentia deferente. Estava totalmente atraída por ele. O jeito, o cheiro e a tara dele por mim me faziam pensar muito sobre ter a minha primeira vez com um homem. Juro que senti um misto de medo e fascinação. Senti alguma coisa em mim diferente, minha razão dizia para evita-lo, mas minha vontade era de ficar cada vez mais perto daquele mastro e me arriscar pela primeira vez.
Um pouco mais tarde, esperei a minha mãe sair e fui tomar banho pensando em como deveria
ser o membro dele. Imaginei o tamanho do cacete dele e esse pensamento me deixou meio atordoada. Comecei a me acariciar embaixo do chuveiro, me tocando toda pelo corpo e gozei muito lembrando daquelas pegadas dele no meu corpo.
Depois enrolada na toalha me joguei exausta na cama e fiquei rolando de um lado para o outro pensando no que eu faria. Levantei, caminhei até a janela secando os cabelos com a toalha e vi de longe ele lá no jardim trabalhando. Um arrepio percorreu todo o meu corpo e naquela hora eu já estava decidida, queria dar a bundinha e daria! Ele seria o meu primeiro homem, aquele que tiraria a minha virgindade.
Mais tarde, depois do jantar fui para o meu quarto, me perfumei, passei um batom vermelho nos lábios e coloquei a mesma camisolinha branca de rendas com uma calcinha preta de algodão bem cavadinha e me espichei, gostosamente, na minha cama. Não quis nem ligar a tv porque só pensava em como eu me entregaria pra ele. Estava muito quente naquela noite e pra ajudar, meu corpo pegava fogo de tanto tesão.
Fui até a janela e só ouvia o barulho dos insetos no jardim. Todos os empregados já tinham ido dormir e praticamente estava o maior silêncio. Resolvi descer e me recostar na rede que fica pendurada na varanda da parte debaixo da casa. Eu me sentia inquieta e não ia conseguir dormir naquele momento.

Tipo, depois de uns 10 minutos me assustei quando ouvi uma voz (era ele, claro) meio baixa vindo da escada da varanda dizendo: - Ta sem sono, é?
Respondi sorrindo, ainda assustada: - Nossa! Chico, Você me assustou, sabia. Eu tava distraída aqui na rede e nem te vi ai. Eu to sem sono...Ta muito calor. E você? Também ta sem sono, é? Ele veio e debruçou na mureta da varanda, bem perto de onde eu estava, usando um calção largo, camiseta e chinelos e respondeu: - Pra ser sincero, to sim! Ai, eu olhei e te vi aqui resolvi conversar um pouco pra chamar o sono. To te atrapalhando?
Como eu estava recostada na rede e a minha camisolinha tinha subido um pouco, mostrava as minhas coxas e ele não tirava os olhos delas. Eu fingindo não ver respondi que não e que tinha gostado dele ter vindo pra conversar comigo. Depois, quando olhei de lado, notei um volume se formando sob o seu calção, ele estava ficando excitado só de olhar as minhas coxas e vez ou outra passa a mão no cacete por cima do calção, tentando disfarçar.
Eu pra não ficar em silêncio, falei: - A noite está linda né? O céu está bastante estrelado! Ele ainda debruçado na mureta da varanda, respondeu: - Aqui é assim! Muito calor, céu estrelado...Ih! olha lá uma estrela cadente! Eu na hora sai da rede e fui até onde ele estava pra ver também, mas ela já tinha passado. Não sei se foi verdade ou mentira dele, mas o fato é que acabei ficando ali do lado dele debruçada na mureta. Ele então começou a me explicar sobre algumas estrelas no céu, tipo o nome, e tauz e aproveitou para se aproximar mais ainda. Eu fingia que prestava atenção, mas sentia seu hálito no meu pescoço, sua mão resvalando na lateral da minha coxa como que sem querer e me acariciando, enquanto apontava para o céu com a outra tentando me distrair. Quando me inclinei pra olhar o céu e pra onde ele apontava, acabei me encostando no corpo dele e tremi ao sentir seu calor. Meu corpo estava quente e os biquinhos dos meus seios empurravam pra frente o tecido da camisola me fazendo ficar mais doida ainda.
Alguns minutos depois ele não agüentou, pegou minha mão e colocou por cima do calção dele sobre o seu cacete. Fingi me assustar, mas adorei sentir aquele mastro duro e grande sob minha mão e falei: - O que você está fazendo? Para! Eu não sou quem você está pensando! Ele não falou nada e me puxou me dando um beijo de tirar o fôlego. Minhas pernas ficaram moles e já sem noção acariciei aquela vara enquanto ele acariciava minhas coxas com uma das mãos e com a outra passada pela minha cintura, tocava com as pontas dos dedos na minha bundinha. Me apertava em seus braços e com nossos corpos colados um no outro colocava a sua perna entre as minhas separando as minhas coxas.
Tentando me afastar tirei os meus lábios dos dele e falei com a voz rouca: - Eu preciso te dizer uma coisa! Eu não sou...E, antes que eu terminasse de falar ele colocou um dedo nos meus lábios me fazendo calar e respondeu por mim: - UMA MENINA! Eu já sabia! Não diz mais nada! Eu não me importo com isso! Pra mim, desde que te vi pela primeira vez, você é e é isso que basta! Uma menina linda, gostosa e muito sensual mais que muitas outras de verdade que existem por ai!
Aquilo mexeu comigo e foi naquele instante que resolvi me entregar pra ele. Com os olhos em lágrimas falei: - Eu quero você! Quero ser sua! Você vai ser o primeiro na minha vida, espero que o único! Ele sem acreditar, passou a mão no meu bumbum por cima da calcinha e falou: - Jura? Quer dizer que você nunca deu essa maravilha de bunda? Eu morrendo de vergonha, respondi: - Se você me quiser mesmo, vai ver que não estou mentindo!
Então ele abaixou uma das mãos tirou o cacete pela lateral do calção e enfiou no meio das minhas coxas me fazendo tremer todinha, depois falou: - Tem certeza de que vai querer isso tudo dentro de você? Eu apertei as minhas coxas, prendendo aquele mastro grosso entre elas e respondi doida de tesão: - Vou! Mas não aqui! Vamos pro meu quarto! Peguei na mão dele e fomos entrando nervosos mais em silêncio para dentro de casa.

(continua)

Selma


Foto 1 do Conto erotico: SELMA A BONEQUINHA (1)

Foto 2 do Conto erotico: SELMA A BONEQUINHA (1)


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario krek

krek Comentou em 21/09/2011

Vc é deliciosa, gostaria de uma foto sua de frente nuazinha e outra de costas, e conte logo como vc perdeu a sua virgindade, to doido pra saber como foi e se foi gostoso.

foto perfil usuario rosa flor

rosa flor Comentou em 21/09/2011

Muito bom...continua...




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


13760 - Selma a bonequinha - Categoria: Travesti - Votos: 55
13812 - Selma a bonequinha (final) - Categoria: Travesti - Votos: 37

Ficha do conto

Foto Perfil selmatrans
selmatrans

Nome do conto:
SELMA A BONEQUINHA (1)

Codigo do conto:
13773

Categoria:
Travesti

Data da Publicação:
16/09/2011

Quant.de Votos:
28

Quant.de Fotos:
2


Online porn video at mobile phone


contos eroticos donzelas cuzudasconto erotico esposa bebadaComtos eroticos troca de cazais perdeu a aposta e um pau de 24cm entrou de uma ves no seu cuno conto erotico melho tramsa d minha vida foi com minha mae e minha tiaconto gay casado no cinemaKarlosfernandes7@gmail.comcontos transex fudendo com entregador de pizzaquadradinho errotico com negão com pau giganteler contos eroticos de xoxotinha inchadacontos sexo comi minhas 2 empregadinhassob um short azul conto videodespindo a irmã dormindoconto erotico sofri nas mais de dois dotadosfilho do pasto comendo a obreiraconto errotico perdeu aposta e teve que dar a mulherbrexei meu tio cumendo minha tiaa fazer sexo com a sogra de 36 anos viuva a forca na camaconto velinho comedo ivagelica novinhaultimos contos sadoconto erotico gay garotadacontos eroticos abusada porgarotosporno contos pescando com maridoconto erotico bifoi estuprada e chorei d dor conto eroticoconto.erotico sobrinho e tia gemedeirador doendo virgindade primeiro nojo pregas "porno"contos eroticos gratis de meu pai tem um pintao grossoo padrasto tarado ver a enteada se depilando e que fazer sexosgostosa pono fazendaConto erotico flagraContos caseiro de sexo sadomasoquismo entre sogras e genroscontos eroticos primeira traicao esposaContos eroticos de travestis ropeu o meu anus.contos heroticos de irmã chantageada pelo e teve q dar pra elecontos eroticos de mulheres de manaustitia é de mais contosconto erotico gay pagado dividacontos eroticos abusada porgarotosporno bang gang contos eroticoscontos eróticos meu irmão me beijava e metia com muita forçamaridinho bobinho contos eroticoscontos eroticos meu sogro pauzudotia e sobrinha acariciando-se, beijam-se, mamam seioscontos erroticos de incertos filha amante do pai 2017 ltimas publicaes com fotos conto erótico chocolate enfiado no ânuscontos eroticos cara jovem pediu coroa casada p fazer massagem em seus pesvireo amante do meu filhoconto de esposa virando putaconto gay dominador estupra submissocontos eroticos 2017 com fotosviolada pelo patrao contocotos eroticos the willing ward quadrinhos gay pornocasal sem saida esposa chatagiada contos eroticogemendo na pica grande do namorado da minha amiga, aiii...me come se caralhudo mete tudo na minha buceta. conto eróticoconto erotico femboy na academiaencoxada na mulher dormindocontos do vaqueiro esposa e angelica safadacontos eroticos pelado no trotexvideis 2017comi a minha tiaconto erotico com objetosquadrinho primeiro tesao anal parte 2porno fotonovelaContos Eróticos Seduzindo ovovô na piscinaConto erotico japonesacasada fui trai com meu patrão e acabei arrombada contos eroticosconto erotico minha namorada dançando forro com meu tioconto roludo esfola mulhercontos eroticos sogro 2017Achei que corneava, mas fui triplamente corneadocontos negao da rola jumento arromba velhaBdsm contos eroticos quadrinhosdesafio pescina coroasconto erotico gay o gurizinho e o negao antigoconto erotico comendo cu madrasta negra no mercadodesenho em quadrinho porno